27
Dez 11
publicado por Nuno Gouveia, às 19:11link do post | comentar

 

No próximo ano as atenções vão estar essencialmente direccionadas para a eleição presidencial. Mas as eleições para a Câmara dos Representantes e especialmente para o Senado serão também elas fulcrais para o futuro dos Estados Unidos. E se em principio, a menos que uma hecatombe suceda ao Partido Republicano, a maioria na Câmara dos Representantes deve manter-se do lado do GOP, no Senado, o poder poderá mudar de mãos. 

 

Neste momento o Partido Democrata tem uma maioria de 53-47 sobre os republicanos, mas o número de lugares em disputa (23 Ds e 10 Rs) coloca esta vantagem em perigo. Os republicanos precisarão apenas de conquistar quatro lugares para assumirem a maioria no Senado, perdida em 2006. Hoje Ben Nelson, democrata conservador do estado do Nebraska, anunciou que não se vai recandidatar, atirando este lugar quase de certeza para a coluna republicana a partir de 2013. Outro lugar que deverá mudar de partido é o Dakota do Norte, onde o democrata Kent Conrad também já anunciou a retirada. De resto, considera-se que poderá haver eleições disputadas no Havai, Novo México, Virginia, Wisconsin, Florida, Michigan, Missouri, Montana, Ohio, Washington (ocupados por democratas) e Arizona, Massachusetts e Nevada (ocupados por republicanos). Considerando que os republicanos, em condições normais, poderão perder apenas o senador Scott Brown do Massachusetts, não é díficil encontrar cinco lugares facilmente conquistáveis. Não desprezando o efeito que as eleições presidenciais terão nestas corridas, é perfeitamente legítimo afirmar que os republicanos deverão ter maioria nas duas câmaras do congresso a partir de 2013. O que poderá facilitar imenso a vida a um Presidente republicano ou complicar a vida ao segundo mandato de Barack Obama. 


De facto, independentemente do resultado da corrida presidencial, depara-se-nos a campanha para o Senado (renovação de, sensivelmente, 1/3) e para a Câmara dos Representantes.

Atendendo aos lugares em disputa para o Senado, não é arrojado - longe disso! - nesta altura prever a reconquista republicana da câmara alta do Congresso.
Alexandre Burmester a 28 de Dezembro de 2011 às 00:03

Sim, também acho. Aliás, com as duas conquistas quase certas (NE e ND), parece-me que entre a FL, MI, MN, MO, VA, MI, Wi, muito possivelmente terão 3 ou quatro vitórias, até para compensar uma previsível derrota de Scott Brown no Massachusetts. Se Obama vencer, não se pense que vai ter um mandato fácil. Muito pelo contrário.
Nuno Gouveia a 28 de Dezembro de 2011 às 01:01

arquivos
2017:

 J F M A M J J A S O N D


2016:

 J F M A M J J A S O N D


2015:

 J F M A M J J A S O N D


2014:

 J F M A M J J A S O N D


2013:

 J F M A M J J A S O N D


2012:

 J F M A M J J A S O N D


2011:

 J F M A M J J A S O N D


2010:

 J F M A M J J A S O N D


pesquisar neste blog