08
Nov 11
publicado por Nuno Gouveia, às 14:35link do post | comentar | ver comentários (3)

Sharon Bialek, a mulher que ontem acusou Herman Cain de em 1997 lhe ter proposto um emprego em troca de sexo. 

 

Nunca acreditei muito na possibilidade de Herman Cain ser o nomeado republicano. Pelo que já ouvi dele e pela sua falta de experiência política, poderia ser um verdadeiro desastre numas eleições gerais. Mas sempre acreditei que poderia ter uma hipótese de representar o papel de Mike Huckabee há quatro anos, quando venceu o caucus do Iowa e representou a alternativa conservadora a John Mccain. Mas depois destas duas semanas desastrosas, que culminaram ontem com um testemunho de uma quarta alegada vítima de assédio sexual, parece-me que a aventura presidencial de Cain está terminada. Sendo o seu núcleo duro de apoiantes constituido pela direita religiosa e pelo tea party, duvido que estes deixem escapar Cain incólume. Como se diz no Des Moines Register

 

O próximo passo é adivinhar qual será o próximo candidato a encarnar o papel de anti-Romney, que segundo algumas sondagens indicam, poderá ser Newt Gingrich. Mas como ontem li de um republicano, em jeito de piada, então os republicanos vão deixar de apoiar Cain pelo assédio sexual para apoiar o infiel Gingrich? Nunca se sabe, nunca se sabe. 


06
Nov 11
publicado por Nuno Gouveia, às 22:09link do post | comentar

video platformvideo managementvideo solutionsvideo player

George Will, Arianna Huffington, Matthew Dowd e Niall Ferguson sobre o tema da semana: Herman Cain. 


04
Nov 11
publicado por Alexandre Burmester, às 15:30link do post | comentar

 

 

 

O até agora pacífico movimento "Occupy Wall Street" (cujas zonas de acção já ultrapassam de longe o centro nevrálgico do mundo da finança) enfrentou no porto de Oakland, na Califórnia, o seu primeiro momento de, chamemos-lhe assim, "perda de inocência". De facto, as autoridades foram chamadas a intervir na sequência da ocupação de um edifício por parte de activistas, os quais teriam também partido vidros e ateados fogos. Pelo menos quatro manifestantes tiveram de ser hospitalizados e vários polícias sofreram ferimentos ligeiros. Mais tarde, segundo a CBS , os manifestantes arremessaram pedaços de betão e acenderam cocktails molotov.

 

Oakland é o quinto porto mais movimentado dos Estados Unidos, pelo que a bem sucedida acção de bloqueamento temporário não deixa de constituir um sucesso para a "organização" (vai entre aspas, pois na aparência estamos perante grupos não coordenados entre si).

 

A ocorrência de incidentes deste tipo, embora possa atrair mais publicidade para o "Occupy Wall Street", não deixará de também fazer com que a simpatia de muita gente para com o "movimento" diminua. Isto, claro, além do desconforto que não deixará de causar ao Partido Democrático, como já aqui dei a entender, pois a "desordem" faz sempre realçar a posição tradicional dos republicanos como defensores "da lei e da ordem".

 

 

Foto: Manifestantes do "Occupy Wall Street" em Zuccotti Park, Nova Iorque (CBS).


03
Nov 11
publicado por Alexandre Burmester, às 15:44link do post | comentar | ver comentários (2)

As alegações de comportamento impróprio para com o sexo oposto por parte do candidato republicano Herman Cain parecem estar a ganhar intensidade. Com efeito, uma terceira mulher acaba de fazer acusações desse teor a Cain numa entrevista à Associated Press. O caso ter-se-á passado nos finais da década de '90. A mulher preferiu permanecer no anonimato ao dar esta entrevista.

 

Entretanto, círculos próximos de Cain acusam o seu rival Rick Perry de difundir a história. Um conselheiro deste último, Curt Anderson, trabalhou na campanha (mal sucedida) de Cain para o Senado em 2004, e terá aí ouvido as alegações. O próprio Cain acusa-o de estar na origem deste caso. Mas Anderson diz que nunca ouvira falar do assunto até agora.

 

Faz todo o sentido (politicamente falando, claro) que a origem dos rumores - sejam eles verdadeiros ou falsos - venha de um dos rivais de Cain no espectro conservador, dado o destaque que este adquiriu nas sondagens.

 

Assunto a seguir. 


02
Nov 11
publicado por Nuno Gouveia, às 22:23link do post | comentar

O Presidente tem vindo a recuperar nos indices de popularidade. Conforme se pode observar na média do Real Clear Politics, Obama ainda está no vermelho, mas as últimas semanas foram positivas. Ainda é cedo para dizer se esta subida será consistente ou, como já aconteceu recentemente, voltará a descer. A história indica-nos que tudo está em aberto para Obama. Comparando com Bill Clinton e George W. Bush, que também passaram por dificuldades no primeiro mandato, por esta altura em 1995 Clinton tinha 52% de aprovação e 41% de rejeição e Bush em 2003 estava com 54%-43% (média da Gallup). Mas enquanto Clinton venceu em 1996 com taxas de aprovação na ordem dos 58%, Bush derrotou Kerry com apenas 50%.  


01
Nov 11
publicado por Nuno Gouveia, às 12:18link do post | comentar | ver comentários (2)

 

Um político doentio e obcecado pelo controlo? Uma máquina partidária corrupta e cheia de vícios? Consultores políticos peritos em golpes baixos? Uma cidade e um estado controlado por um político? Um jovem político promissor com família perfeita e infiel à sua esposa? Qual a cidade perfeita para encaixar todos estes clichés da política americana numa série de televisão? Chicago, pois claro. A máquina do Partido Democrata de Cook County que controla a política do Illinois há décadas e que já deu azo a diversos escândalos, é grande inspiração para esta nova série. É protagonizada por um renascido Kelsey Grammer, conhecido anteriormente pelo nome de Dr. Frasier Crane da mais famosa comédia de Seattle. Quem já gostava do desajeitado Frasier vai ficar surpreendido com esta nova faceta do actor vestindo a pele de Tom Kane, Mayor de Chicago e figura dominante do partido no Illinois. Ao lado temos a fantástica Connie Nielson (Advogado do Diabo, Gladiador) no papel da esposa profissional, que quase não se relaciona com o marido na vida privada. Talvez a melhor estreia do ano, que promete ser um caso sério no canal Starz, que recentemente já nos tinha oferecido o Spartacus. Hollywood? Neste momento quero é saber o que o AMC, HBO, Showtime ou Starz (canais de cabo americanos) têm para exibir.

tags: ,

Em destaque
José Gomes André

Investigador de Filosofia Política, redigiu tese de doutoramento sobre James Madison. Autor de "Sistema Político e Eleitoral Norte-Americano: um Roteiro" (Esfera do Caos, 2008). Escreve também no Delito de Opinião.
ver perfil
ver posts
Nuno Gouveia

Autor de uma tese de mestrado sobre as eleições presidenciais americanas de 2008. Escreve também no 31 da Armada e Cachimbo de Magritte.
ver perfil
ver posts
Alexandre Burmester

Define-se como um "ávido seguidor amador" da política americana, que acompanha há mais de 40 anos. As suas habilitações académicas situam-se na área da Língua e Literatura Inglesas e foi quadro de uma multinacional canadiana
ver perfil
ver posts
arquivos
2017:

 J F M A M J J A S O N D


2016:

 J F M A M J J A S O N D


2015:

 J F M A M J J A S O N D


2014:

 J F M A M J J A S O N D


2013:

 J F M A M J J A S O N D


2012:

 J F M A M J J A S O N D


2011:

 J F M A M J J A S O N D


2010:

 J F M A M J J A S O N D


pesquisar neste blog
 
subscrever feeds