13
Jun 11
publicado por Nuno Gouveia, às 13:11link do post | comentar


Realiza-se hoje o segundo debate presidencial republicano no New Hampshire, que já vai contar com Mitt Romney, Newt Gingrich e Michelle Bachmann, além de Tim Pawlenty, Rick Santorum, Herman Cain e Ron Paul, que tinham participado no mês passado num debate na Carolina do Sul. O debate será transmitido na CNN às 01h00 (de Lisboa).


10
Jun 11
publicado por Nuno Gouveia, às 10:22link do post | comentar

Diversas fontes deram ontem conta que Hillary Clinton está interessada em mudar-se para o Banco Mundial no próximo ano. A Secretária de Estado sempre disse que não pretendia manter-se no cargo no possível segundo mandato de Barack Obama, e a saída de Robert Zoellick, antigo secretário de Estado adjunto no mandato de George W. Bush, no próximo ano, abre uma vaga para um americano. A presidência do Banco Mundial tem pertencido desde sempre a um americano, e, apesar das profundas alterações na diplomacia internacional, espera-se que esta tradição se mantenha. Se este cenário se concretizar, Obama terá de escolher um novo Secretário de Estado para a parte final do seu mandatspan> 


publicado por Nuno Gouveia, às 02:14link do post | comentar

Newt Gingrich é um tipo brilhante. Não há outra forma de o descrever. Mas todos os que acompanharam a sua carreira político sabem que dificilmente conseguiria ser um candidato presidencial credível. A sua indisciplina, a forma errática como actua e os seus erros do passado sempre pairaram sobre a sua campanha presidencial. Não sei como pode sobreviver a isto: hoje todos profissionais por ele contratados para a campanha demitiram-se em bloco. Se ele vai continuar? É provável. Mas se é verdade que aquilo que nasce torto nunca mais se endireita, então a missão Newt Gingrich 2012 terminou. 


07
Jun 11
publicado por Nuno Gouveia, às 16:37link do post | comentar

A política americana está suspensa por estes dias devido ao "escândalo político que rebentou nesta última semana. O congressista democrata Anthony Weiner (ainda por cima com este nome), apontado como futuro candidato à Mayor de Nova Iorque, foi apanhado a enviar fotos comprometedoras no... Twitter. Depois de inicialmente ter negado que era o autor da foto enviada publicamente a uma estudante universitária e que a sua conta tinha sofrito um ataque "pirata", hoje assumiu a sua "culpa". Ainda por cima, passou a última semana a dar entrevistas patéticas, dizendo até que não sabia se a fotografia era sua ou não. O congressista é casado, e como um mal nunca vem só, foram revelados mais casos de mensagens e fotos intimas que enviou a outras mulheres nos últimos tempos. Como podem imaginar, quem anda deliciado com isto são os humoristas. Aqui fica o contributo de Stephen Colbert. 

 

Publicado originalmente no Cachimbo de Magrit

03
Jun 11
publicado por Nuno Gouveia, às 00:30link do post | comentar | ver comentários (4)

Este não é o mesmo Mitt Romney que se candidatou em 2008. Não, hoje é o principal favorito a vencer as primárias republicanas e enfrentar Barack Obama nas presidenciais de 2012. E por isso, também será uma campanha bastante diferente da que assistimos há quatro anos atrás. Nesse ciclo eleitoral, Romney tentou ser o candidato de todos: da direita religiosa, dos fiscal conservatives, dos country republicans e dos falcões na política externa. E por isso, mudou de opinião várias vezes: no casamento gay ou no aborto. Tendo estado na política activa no Massachusetts e sendo seu governador durante quatro anos, num dos estados mais à esquerda nos Estados Unidos, Romney adoptou nessa campanha uma postura mais conservadora, em oposição com o seu passado de moderado. Perdeu a direita para Micke Huckabee e o centro para John McCain. Ninguém espere isso de Romney neste ciclo. 

 

O seu caminho será tortuoso, cheio de obstáculos e, ninguém duvide, será o alvo preferencial dos sectores mais conservadores, a começar pelos activistas do tea party. O seu plano de saúde aprovado no Massachusetts, será o seu grande obstáculo. Mas também aqui Mitt já abraçou um novo estilo: em vez de mudar de opinião e pedir desculpa, a exemplo do que sucedeu em 2008, agora defendeu essa posição. No entanto, também a máquina republicana ainda não se sente confortável com ele, e por isso temos visto tanta procura por um novo candidato salvador: Paul Ryan ou Chris Christie têm sido dos nomes mais falados. Mas Romney é o favorito. Tem estatuto, tem uma máquina, e terá muito dinheiro para gastar. Neste momento, não há ninguém no campo republicano com a sua capacidade de angariação de dinheiro. E com os mil milhões de dólares esperados para a campanha de Barack Obama, o dinheiro vai ser muito importante nesta campanha. 

 

Romney será o candidato moderado na corrida a derrotar. Mas tem um caminho evidente para a nomeação: tem de "aguentar-se" bem no primeiro caucus do Iowa (talvez um 3º ou 4º lugar), mas principalmente vencer as decisivas primárias do New Hampshire. Se não vencer aqui, Romney estará feito. Depois, terá de vencer no Nevada (aqui será fácil) e aguentar-se na Carolina do Sul (1º ou 2º). A seguir vem a Florida e depois a Superterça-feira, onde poderá segurar a nomeação, ou pelo menos, ganhar uma larga vantagem para o resto das primárias, a exemplo do que sucedeu com Obama em 2008. 

 

Romney poderá ser um candidato temível para Barack Obama. Com um candidato a VP mais conservador (Marco Rubio ou Nikki Haley, por exemplo) irá criar entusiasmo à direita, podendo atacar pelo centro o Presidente. E com o seu currículo de empresário de sucesso, poderá causar muitas dificuldades a Obama. Se a economia estiver nas ruas da amargura por altura das eleições, Romney terá uma hipótese.

 

A seguir com atenção esta campanha, e, também os ataques que vai receber da direita. Um exemplo: hoje, no dia do seu anúncio no New Hampshire, Sarah Palin, numa atitude mesquinha, aproveitou o dia para regressar ao estado pela primeira vez desde as eleições presidenciais de 2008, num dos seus eventos da Palinpalooza. Curioso, não?


02
Jun 11
publicado por Nuno Gouveia, às 14:27link do post | comentar | ver comentários (4)

Mitt Romney anuncia esta tarde no New Hampshire a candidatura à Presidência dos Estados Unidos. Apesar do circo à direita, Romney continua a ser o mais provável candidato republicano para defrontar Barack Obama. Deixo aqui algumas respostas de Mark Halperin sobre o momento da corrida: 

 

When will the Republican field finally be set?
It is close to complete now, but GOP donors, activists, governors and members of Congress (plus the press) are pining for someone — anyone! — else. Sarah Palin continues to flirt with a run (creating media mayhem whenever she behaves like a candidate), but she may not make up her mind until after Labor Day. Of course, predicting what Palin will do is as futile as anticipating Lady Gaga's next costume change.

 

Who else is most likely to get in, and why?
The conservative governor of Texas, Rick Perry, has gone from a no to a maybe, but his rightward leanings make George W. Bush look like Al Franken, so he'll have little claim on the center, where the battle against President Obama will be waged. Still, Perry is a ferocious campaigner and fundraiser — if he remains dissatisfied with the GOP field, he just might go for it. Rudy Giuliani is taking a serious look at a run, based on the same center-right-man-of-action rationale he used in his tragicomic effort four years ago. Wisconsin Congressman Paul Ryan and New Jersey Governor Chris Christie both think they are stronger candidates and would be better Presidents than the current hopefuls, but neither is inclined to jump in now.

 

Who benefits from the chaos?
Mitt Romney and Barack Obama. All the delays and distractions make it harder for Romney's would-be rivals to catch him in the GOP race. Obama is helped too, because anything that adds to the GOP carnival elevates the President. In some of the most basic areas of politics — opposition research, staff selection, field operations, surrogates — the Obama-Biden re-election campaign has already built up a huge lead. The longer it takes the Republicans to find a nominee, the wider that gap will grow.


Em destaque
José Gomes André

Investigador de Filosofia Política, redigiu tese de doutoramento sobre James Madison. Autor de "Sistema Político e Eleitoral Norte-Americano: um Roteiro" (Esfera do Caos, 2008). Escreve também no Delito de Opinião.
ver perfil
ver posts
Nuno Gouveia

Autor de uma tese de mestrado sobre as eleições presidenciais americanas de 2008. Escreve também no 31 da Armada e Cachimbo de Magritte.
ver perfil
ver posts
Alexandre Burmester

Define-se como um "ávido seguidor amador" da política americana, que acompanha há mais de 40 anos. As suas habilitações académicas situam-se na área da Língua e Literatura Inglesas e foi quadro de uma multinacional canadiana
ver perfil
ver posts
arquivos
2017:

 J F M A M J J A S O N D


2016:

 J F M A M J J A S O N D


2015:

 J F M A M J J A S O N D


2014:

 J F M A M J J A S O N D


2013:

 J F M A M J J A S O N D


2012:

 J F M A M J J A S O N D


2011:

 J F M A M J J A S O N D


2010:

 J F M A M J J A S O N D


pesquisar neste blog
 
subscrever feeds