05
Fev 11
publicado por Nuno Gouveia, às 11:14link do post | comentar | ver comentários (3)

Nesta última semana foram publicados muitos artigos sobre Ronald Reagan. Destaco aqui alguns escritos por seus antigos colaboradores ou pessoas que privaram com ele.

 

Thinking About Ronald Reagan: On 100th Birthday, He's Remembered for Good Reason, de Lou Cannon. Jornalista que cobriu todas as campanhas de Reagan, desde 1966 até 1984, bem como os anos da presidência. É o autor de cinco livros sobre Reagan, nomeadamente "Presidente Reagan: the role of a lifetime".

 

Ronald Reagan at 100, Being a good man helped him become a great one, de Peggy Noonan. Colunista do WSJ, colaborou com Reagan como speechwriter. Nos últimos anos tem sido uma das mais acérrimas defensoras do legado de Reagan nos Estados Unidos.

 

Five myths about Ronald Reagan, de Edmund Morris. Biógrafo autorizado de Ronald Reagan, escreveu Dutch: A Memoir of Ronald Reagan.

 

Brian Mulroney remembers his friend Ronald Reagan. Uma entrevista com o antigo Primeiro-ministro canadiano Brian Mulroney, que foi um importante parceiro de Reagan entre 1984 e 1988.

 

My respect for Reagan only grew, de Sam Donaldson. Jornalista da ABC News, cobriu a Presidencia Reagan durante os oito anos.

 

His vision revived spirit of America, de Edwin Meese. Colaborador de Reagan desde os tempos de Governador da Califórnia, foi Procurador-geral dos Estados Unidos entre 1985 e 1988.



04
Fev 11
publicado por Nuno Gouveia, às 21:58link do post | comentar

 

Nestes próximos dias estreiam nos Estados Unidos três documentários sobre Ronald Reagan. Talvez o mais aguardado é da responsabilidade do canal HBO, "Reagan", do realizador Eugene Jarecki, onde intervêem nomes como Michael Reagan, James Baker, Dan Rather ou o biógrafo oficial, Edmund Morris. Estreia dia 7 de Fevereiro. No  dia anterior, dia 6 de Fevereiro e data do centenário do nascimento de Reagan, a PBS emite um especial intitulado "Nancy Reagan, the role of a lifetime". Por fim, o History Channel transmite na quarta-feira, dia 9, uma emissão especial de duas horas, com o original nome "Reagan".

 

Sobre a vida de Reagan há muitas e boas opções. Deixo aqui dois documentários que recentemente tive a oportunidade de ver. O primeiro está disponível online, incluído na fantástica série da PBS, "American Experience", sobre a história dos Estados Unidos. A vida de Reagan revisitada neste excelente documentário. O segundo, da responsabilidade do antigo Speaker Newt Gingrich, "Ronald Reagan, Rendezvous with destiny". Este é uma visão apaixonada e comprometida da vida de Reagan, com entrevistas a alguns dos seus colaboradores próximos, como James Baker, Bill Bennet ou Linda Chavez, e ainda a líderes estrangeiros, como Margaret Thatcher, Vaclav Havel e Lech Walesa.



publicado por Nuno Gouveia, às 17:25link do post | comentar | ver comentários (3)

A Administração Obama, num momento de fragilidade, foi apanhada de surpresa pelos acontecimentos no Egipto. Só assim se pode compreender as declarações dos primeiros dias das manifestações, com Hillary Clinton a considerar o Egipto estável e Joe Biden a dizer que não se podia chamar a Hosni Mubarak um ditador. Mas é verdade que soube corrigir o tiro inicial, a partir do momento em que Barack Obama se pronunciou pela primeira vez sobre o assunto. Por muita retórica que possa existir, acredito que o tom de Washington sobre o Egipto não seria diferente com outro Presidente. Mas nem por isso o futuro do Egipto deixa de estar relacionado com a forma como Obama será avaliado pelos americanos em 2012.

 

Há duas componentes da diplomacia americana: o que se diz publicamente e o que se faz nos bastidores. Até ao momento, parece evidente que os Estados Unidos olham já para o futuro do Egipto pós-Mubarak. Se por um lado, os americanos colocam-se ao lado das forças democráticas que se manifestam nas ruas do Cairo, por outro, nos bastidores, as acções perante o exército egípcio que estarão a ser conduzidas têm dois objectivos claros: facilitar uma transição pacífica sem um banho de sangue, e por outro, criar as condições necessárias para impedir que a Irmandade Islâmica assuma os destinos da revolução. Dificilmente os Estados Unidos terão num futuro governo um aliado tão seguro como o actual regime. Isso é passado. No entanto, as excelentes relações que têm com o exército podem produzir frutos. É pouco credível que uma organização que defende a introdução da Sharia, a perseguição aos cristãos e às mulheres e que pretende rasgar o acordo de paz com Israel, possa ser aceitável para o Estados Unidos. Isso seria cometer o mesmo erro de 1979, quando muitos acreditaram que os islâmicos de Khomeini poderiam ser uma força aceitável dentro do jogo democrático. E é neste tabuleiro perigoso que os americanos jogam. Se o Egipto cair nas mãos de extremistas islâmicos, Obama ficará numa posição muito frágil. No Verão de 2012, quando a campanha de reeleição estiver no auge, a situação do Egipto não deixará influenciar a ordem do dia. E é nisso que Obama também deve estar a equacionar.



publicado por Nuno Gouveia, às 14:59link do post | comentar


The Kennedys | Barry Pepper | Greg Kinnear | Katie Holmes | Tom Wilkinson

 

A mini-série de oito episódios estreia no Reelz Channel no próximo dia 8 de Abril. Produzida por Joel Surnow (criador da série 24), é protagonizada por Greg Kinnear (JFK), Katie Holmes (Jackie Kennedy), Barry Pepper (RFK) e Tom Wilkinson (Joe Kennedy). Inicialmente prevista para ser transmitida no History Channel, no mês passado o canal anunciou que se recusava a emitir a série. O destaque dado às relações de Joe Kennedy com o mundo do crime, bem como alguns aspectos mais controversos da história da família Kennedy, fizeram o canal recuar na sua emissão. O Reelz Channel, um desconhecido canal por cabo, acabou por ficar com os direitos de transmissão.  Com os nomes envolvidos, estou certo que valerá bem a pena.

 


publicado por Nuno Gouveia, às 11:37link do post | comentar

 

Em 1964, Ronald Reagan, então com 53 anos, era ainda muito inexperiente nos meios políticos, e o público americano apenas o conhecia pela sua carreira mediana no mundo do cinema. Mas um discurso, "A time for Choosing", que ficou na história como "The Speech", mudou tudo. Ao longo da campanha presidencial de Barry Goldwater, Reagan tornou-se nacionalmente conhecido por esta intervenção, que repetiu em diversos locais. No dia 27 de Outubro, Goldwater utilizou este vídeo na televisão, inserido num programa publicitário da sua campanha. Depois deste discurso, Reagan foi convidado a candidatar-se a tudo que era cargo: congressista, senador ou governador. Em 1966, Reagan derrotou o governador da Califórnia, Pat Brown*, com 58 por cento dos votos. E assim começou a sua carreira de sucesso na política.

 

* Pai do actual governador, Jerry Brown, e que tinha derrotado Richard Nixon em 1962.


03
Fev 11
publicado por Nuno Gouveia, às 16:52link do post | comentar | ver comentários (1)

O momento egípcio, de Bernardo Pires de Lima. Neste artigo, aborda-se o que está em causa neste momento no Egipto e qual deverá ser a reação dos países ocidentais.

 

Cenários radicais, de Luís Naves. Neste post, o autor refere um post que escrevi no Cachimbo de Magritte. Não contesto que existe uma possibilidade da Irmandade Islâmica vencer umas eleições democráticas. O que quis dizer é precisamente que essa vitória não é assim tão provável de acontecer. De resto, Luís Naves aborda a temática da previsível influência da Irmandade Muçulmana num Egipto pós Mubarak de uma forma talvez demasiado optimista. Não acredito que seja provável que sigam o exemplo dos islamitas turcos. Mas é uma reflexão que aconselho a ler.


02
Fev 11
publicado por Nuno Gouveia, às 15:27link do post | comentar

 

Comemora-se no próximo domingo o centenário do nascimento de Ronald Reagan. A Reagan Foundation tem um site especial sobre as festividades. Até domingo vou colocar por aqui alguns posts evocativos daquele que foi um dos Presidentes mais populares da história americana.

 


publicado por Nuno Gouveia, às 10:03link do post | comentar | ver comentários (4)

 

Será que um republicano que colaborou com a Administração Obama nos últimos dois anos tem a mínima hipótese de vencer a nomeação em 2012? Muito pouco provável dirão muitos. E se esse republicano for um moderado, com posições controversas no partido? Mas, mesmo assim, o nome de Jon Huntsman, Embaixador na China da Administração Obama, tem feito furor nos últimos tempos nos círculos políticos americanos. Quando em 2009, depois de abandonar o cargo de governador do Utah que ocupava desde 2005, foi nomeado representante dos Estados Unidos na China, logo se escreveu que com este convite, Obama estava a afastar um potencial adversário de 2012. Mas Huntsman esta semana pediu a resignação do cargo a partir de Maio, e especula-se que está mesmo a pensar numa corrida à nomeação republicana. Além de moderado, colaborou com a Administração Obama. Haverá cenário mais complicado para um republicano actualmente? No entanto, com tantos pré-candidatos anunciados, tudo é possível. E, segundo alguns especialistas, tem uma vantagem: poderia ser um adversário muito perigoso para Obama na eleição geral. O seu perfil coloca-o bem no meio da luta pelo voto dos democratas conservadores e independentes. Esta ideia fica para outro post, mas estou convencido que a nomeação republicana vai decidir-se entre um candidato moderado e um conservador. Huntsman, se avançar, terá de ser primeiro o escolhido dos moderados, para depois tentar alcançar a nomeação.


Sobre Jon Huntsman Jr.

 

Ler Can Huntsman do it?, de Sven Wilson, The Case for... e The Case against..., de Chris Cillizza, no Washington Post.

 



01
Fev 11
publicado por Nuno Gouveia, às 17:46link do post | comentar

 

Charlotte, na Carolina do Norte, foi a cidade escolhida para receber a Convenção Nacional de 2012, onde Obama será nomeado novamente candidato oficial do Partido Democrata. St. Louis, Missouri, Cleveland, Ohio e Minneapolis-St.Paul, Minnesota, foram as cidades relegadas. A convenção começa dia 3 de Setembro de 2012, uma semana depois da convenção do Partido Republicano, que vai realizar-se em Tampa, Florida.



arquivos
2017:

 J F M A M J J A S O N D


2016:

 J F M A M J J A S O N D


2015:

 J F M A M J J A S O N D


2014:

 J F M A M J J A S O N D


2013:

 J F M A M J J A S O N D


2012:

 J F M A M J J A S O N D


2011:

 J F M A M J J A S O N D


2010:

 J F M A M J J A S O N D


pesquisar neste blog
 
subscrever feeds