23
Dez 10
publicado por Nuno Gouveia, às 09:30link do post | comentar

Mark Halperin, comentador da MSNBC, editor de política da Time e autor deste excelente The Page, é um dos comentadores políticos americanos que mais gosto de ouvir e de ler. Precisamente por manter-se afastado da luta política e elaborar uma análise distanciada do debate público. Já tendo sido acusado pela esquerda e pela direita de partidarismo, Halperin é um dos mais influentes analistas na imprensa americana. Este ano que passou também foi dele.


22
Dez 10
publicado por Nuno Gouveia, às 23:29link do post | comentar

John Boehner é um dos políticos do ano. Eleito há quatro anos líder dos republicanos na Câmara dos Representantes, chegou a vez dele assumir o terceiro cargo na hierarquia política dos Estados Unidos. O congressista do Ohio já teve muitos altos e baixos na sua carreira política, mas esta é a sua hora. Pessoalmente gosto da sua postura política pouco convencional. Muito do sucesso, ou não, dos republicanos nos próximo dois anos passará por Boehner.



publicado por Nuno Gouveia, às 17:51link do post | comentar

Com a previsível ratificação do tratado START pelo Senado, o ano político está a chegar ao fim. E já que entramos em ritmo de balanço, nas próximas duas semanas irei deixar aqui algumas escolhas pessoais sobre os destaques deste ano: Políticos, Comentadores, Media e Cinema/televisão são algumas das categorias sobre as quais irei escrever.


20
Dez 10
publicado por Nuno Gouveia, às 10:11link do post | comentar


19
Dez 10
publicado por Nuno Gouveia, às 22:43link do post | comentar | ver comentários (2)

Ontem foi aprovado o fim da lei que impedia os homossexuais de servirem no exército. A chamada lei DADT acabou com os votos favoráveis de alguns republicanos, que desse modo impediram que a lei fosse bloqueada no Senado. Ao contrário de há duas semanas, quando a lei que foi a votação estava englobada num pacote geral que incluía muitas outras disposições, desta vez a única coisa que foi a votação foi mesmo o fim da DADT.

 

tags:

publicado por Nuno Gouveia, às 22:21link do post | comentar

As primárias republicanas de 2012 foi um dos temas abordados no Fox News Sunday. Todos parecem concordar: a corrida está completamente em aberto.


18
Dez 10
publicado por Nuno Gouveia, às 22:11link do post | comentar

Filho de emigrantes da freguesia de Alheira (Barcelos), Jack Martins, republicano, 43 anos, é o primeiro lusodescendente eleito para o Senado de Nova Iorque após dura disputa legal.

Notícia e foto Diário de Notícias.

 


17
Dez 10
publicado por Nuno Gouveia, às 15:19link do post | comentar | ver comentários (2)

Na semana em que Sarah Palin regressou à antena dos mainstream media, uma sondagem explica o seu mal-estar: cerca de 60 por cento dos americanos coloca de parte a hipótese de votar nela para Presidente dos Estados Unidos. Este é o principal problema para uma candidatura presidencial de Palin: apesar da sua popularidade entre os conservadores americanos, os seus números entre independentes continuam miseráveis. Ao contrário de outros potenciais candidatos republicanos, que são completamente desconhecidos do povo americano, Palin tem um elevado grau de notoriedade. Palin nos últimos dois anos transformou-se numa figura altamente divisiva na sociedade americana, e dificilmente poderá reverter a situação com uma campanha presidencial ao seu estilo. Acredito que os seus conselheiros estarão neste momento a pensar na viabilidade de lançar-se à nomeação republicana em 2012. Porque Palin certamente não quererá transformar-se num George McGovern ou Walter Mondale do Partido Republicano.


16
Dez 10
publicado por Nuno Gouveia, às 22:26link do post | comentar

No dia em que foi conhecido o relatório sobre o Afeganistão, Obama mostrou-se satisfeito pelos resultados alcançados. O processo de retirada poderá começar mesmo em Junho do próximo ano, apesar dos progressos obtidos serem considerados frágeis e reversíveis pelos comandantes no terreno. Com mais de 100 mil soldados no Afeganistão, Obama bem precisa de apresentar um sucesso na política externa para enfrentar o duro ciclo presidencial de 2012. Os republicanos, que neste assunto têm sido os seus maiores apoiantes, não deixaram de recorrer a esta guerra, que já dura há nove anos, para demonstrar que Obama é frágil e incompetente na política externa. Por enquanto, as poucas críticas republicanas resumem-se ao estabelecimento de uma data de retirada.



15
Dez 10
publicado por Nuno Gouveia, às 18:18link do post | comentar

Um estudo de Brad Phillips, antigo jornalista da ABC e CNN, agora consultor de Media Training, apresenta os melhores e piores comunicadores, no campo presidencial para 2012. Desde 1980, ano em que os académicos referem como o inicio da idade mediática do 24/7 (ciclo de notícias 24 horas), que o vencedor das eleições presidenciais* tem sido sempre aquele que melhor comunica.

 

Phillips baseia-se em sete critérios para esta análise:

1. The candidate with the clearest message has always won

2. The candidate who articulated the clearer vision has always won

3. The sunnier candidate with the more optimistic message has always won

4. The candidate whose message is best aligned with constituent concerns has always won

5. The more charismatic candidate has always won

6. The candidate who appeared most comfortable in his skin has always won

7. The candidate who uses the most plain-spoken language has almost always won

 

Nesta lista retiramos várias conclusões. A mais óbvia é a grande queda de Barack Obama desde 2008. Autor de uma brilhante campanha, com base na oratória e na mensagem de esperança, a presidência Obama tem sido um fracasso em termos comunicativos. Conforme disse Phillips, esta apreciação baseia-se na prestação da actualidade, e nada impede que estes valores venham a mudar até 2012. Mas ser colocado atrás de Sarah Palin, Bobby Jindal ou Jim DeMint, não propriamente famosos por terem grande capacidade de comunicação, é uma mancha para o currículo de Obama.

 

Marco Rubio é o republicano melhor colocado nesta lista de 18 potenciais candidatos, com o mesmo score do Obama 2008. Esta classificação não surpreende quem observou de perto a campanha para o Senado deste ano. Infelizmente para os republicanos, muito dificilmente entrará na próxima corrida presidencial. Entre os quatro frontrunners (Palin, Huckabee, Gingrich e Romney), o melhor colocado é Huckabee. Sendo um comunicador nato, e totalmente desconhecido em 2008, emergiu como a voz da direita religiosa no grande palco da política americana. Talvez por isso é considerado improvável que venha a obter a nomeação, no entanto, fica aqui a nota, justa diga-se, para os seus dotes comunicacionais. Gingrich é o pior e não é difícil perceber porquê. Entre os outros prováveis candidatos (Christie, Jindal, Rubio, DeMint, Bush deverão ficar de fora), destaque ainda para as posições de Haley Barbour e John Thune.


*De facto, basta fazer uma análise histórica aos embates eleitorais para verificar a sua veracidade: Reagan/Carter; Reagan/Mondale; H. Bush/Dukakis; Clinton/H. Bush; Clinton/Dole; W. Bush/Gore; W. Bush/Kerry; Obama/McCain.



publicado por Nuno Gouveia, às 17:06link do post | comentar

Mark Zuckerberg, fundador e CEO do Facebook foi a escolha deste ano da Time. Sem surpresa, diga-se, dado o papel revolucionário que o rede social desempenhou nos últimos anos. Na lista publicada pela revista americana, destaque para o Tea Party, que ficou em segundo lugar.


tags:

publicado por Nuno Gouveia, às 10:56link do post | comentar

Steven Spielberg está a preparar um novo trabalho cinematográfico sobre a vida de Abraham Lincoln. O actor escolhido para encarnar a personagem do primeiro Presidente republicano  foi Daniel Day-Lewis. O argumento de "Lincoln" é inspirado no livro "Team of Rivals", de Doris Kearns Goodwin e foi escrito por Tony Kushner, conhecido pelo seu trabalho no mundo do teatro, mas que também já trabalhou com Spielberg, nomeadamente no excelente "Munich". A produção estará a cargo de Kathleen Kennedy e Steven Spielberg. Segundo a Dreamworks, o filme irá focar-se sobretudo nas divisões na Administração Lincoln durante a guerra civil e no processo de abolição da escravatura. A estreia está marcada para 2012. Um dos filmes mais aguardados para os próximos anos.



14
Dez 10
publicado por Nuno Gouveia, às 16:27link do post | comentar | ver comentários (2)

A revista Atlantic anunciou (via Lugares Comuns) que, pela primeira vez em muitos anos, vai ter lucro. O valor nem é muito elevado (1,8 milhões de dólares), mas demonstra que a revolução operada através do digital alcançou um sucesso inegável. Por outro lado, o Huffington Post, site criado por Ariana Huffington e icon do "liberalismo" americano, espera obter lucro pela primeira vez este ano. Com receitas de 30 milhões de dólares, pretendem triplicar este valor para mais do triplo em 2012.

 

Ao lado destas notícias, temos o crescimento sustentado de vários projectos editoriais, como o Daily Beast, que recentemente se fundiu com a Newsweek, o Politico, site por excelência de cobertura da vida política americana, ou os sucessos conservadores na rede, como o Drudge Report ou o Daily Caller. É uma verdade la palice afirmar que o futuro da imprensa passa pela rede. Já nem faz muito sentido falar nisto. Mas enquanto nos Estados Unidos temos vindo a observar este desenvolvimento dos novos media, algumas vezes, de mãos dadas com os media tradicionais, como no caso da Atlantic, em Portugal tudo parece parado. Os órgãos de comunicação social portugueses parecem ter receio em apostar decisivamente neste meio. Não sei, porque não tenho conhecimentos para tal, se o tamanho do nosso mercado limita um maior investimento nos novos media. Sinceramente não sei se é isto que nos impede de dar um passo em frente. Mas quando tento arranjar espaços digitais de comparação entre a nossa realidade e a americana, fico de mãos a abanar. Pecado da falta de criatividade ou de meios? A primeira sei que falta. A segunda não sei. Uma questão que deixo em aberto.



publicado por Nuno Gouveia, às 15:45link do post | comentar | ver comentários (3)

Um Juiz federal da Virginia declarou ontem que a lei da saúde é inconstitucional, por obrigar os individuos a adquirir seguros de saúde. Vários Procuradores-gerais estaduais colocaram este ano um processo contra a reforma da saúde aprovada pelos Democratas no Congresso. O Juiz que tomou  esta decisão foi nomeado por George W. Bush, e inicia assim um longo processo que deverá ser decidido no Supremo Tribunal.

 

Esta batalha legal entre conservadores e "liberais" já era esperada. Esta contenda não deverá ser resolvida antes de 2012, e como tal, deverá aquecer ainda mais o debate nas próximas presidenciais sobre a revolução na saúde operada por Barack Obama. Sendo uma questão muito controversa, a decisão do Supremo será, sobretudo, ideológica.



13
Dez 10
publicado por Nuno Gouveia, às 16:23link do post | comentar

Segundo as sondagens conhecidas, os quatro pré-candidatos mais conhecidos lideram neste momento as casas de apostas: Huckabee, Romney, Gingrich e Palin. Mas estes números resultam precisamente de serem os nomes mais famosos nos Estados Unidos. Em 2006, por esta altura, era Giuliani quem liderava as sondagens. No campo democrata, era Hillary a super-favorita. O resultado foi Mccain/Obama. Mas há alguns dados interessantes a observar desde já. Segundo os vários estudos de opinião que vão sendo publicados, Mitt Romney é, para o grande público, o nome mais bem colocado para derrotar Obama nas eleições gerais. O antigo governador do Massachusetts continua a ser o republicano que melhor "entra" no eleitorado independente. Pelo contrário, a fraca prestação de Sarah Palin nestas sondagens continua a mostrar que para se tornar uma candidata viável, ainda tem muito que "batalhar" pelo eleitorado independente.

 

Se Romney continuar com estes números contra Obama, poderá transformar-se no verdadeiro frontrunner da corrida presidencial. Sendo o candidato que poderá ter mais oposição dentro dos sectores mais conservadores, a divisão entre estes no apoio a Palin, Huckabee ou outros candidatos do mesmo segmento eleitoral, poderá fazer com que Romney transforme-se no John McCain de 2012, que também derrotou os candidatos mais conservadores. Normalmente o Partido Republicano nomeia o mais bem colocado para as eleições gerais, mas depois do que aconteceu no ciclo eleitoral de 2010, não sei arrisco em dizer que vai suceder o mesmo em 2012.


publicado por Nuno Gouveia, às 15:45link do post | comentar

Ron Paul afirmou que existem 50 por cento de possibilidades de voltar a concorrer à nomeação republicana em 2012. Há quatro anos, Paul foi a voz dissidente dentro do GOP, ao candidatar-se numa plataforma anti-guerra e libertária. Apesar de não ter alcançado grandes resultados eleitorais nas primárias, conseguiu dar um novo alento aos libertários, granjeando enorme apoio na Internet. A sua campanha digital terá sido mesmo a mais inovadora dentro do campo republicano. Não será uma candidatura vencedora, mas poderá voltar a injectar um novo entusiasmo no movimento libertário, que nos últimos anos tem vindo a ganhar fôlego na sociedade americana.


Esta possível candidatura de Paul representará, no entanto, um entrave a um outro potencial candidato: Gary Jonhson, antigo governador do New México. Este tem dado sinais que poderá concorrer na mesma plataforma, e sendo bem mais jovem (Paul terá 76 anos em 2012), teria mais potencial de crescimento. Se Paul avançar, o seu espaço fica assim mais reduzido, pelo que nesse cenário, dificilmente terá margem de manobra na corrida presidencial.

 


11
Dez 10
publicado por Nuno Gouveia, às 11:03link do post | comentar | ver comentários (2)

Charles Krauthammer, conservador, considera que Barack Obama fez um brilhante acordo que lhe pode valer a reeleição. Paul Krugman, "liberal", ataca o Presidente e critica o acordo entre republicanos e Obama. A opinião maioritária pende para o lado de Krugman e Krauthammer tem sido uma voz minoritária no campo republicano. O que prova que nem tudo é preto e branco. Como em muitos outros assuntos.

 

Krauthammer:

Obama's public exasperation with this infantile leftism is both perfectly understandable and politically adept. It is his way back to at least the appearance of centrist moderation. The only way he will get a second look from the independents who elected him in 2008 - and abandoned the Democrats in 2010 - is by changing the prevailing (and correct) perception that he is a man of the left.

 

Krugman:

This political reality makes the tax deal a bad bargain for Democrats. Think of it this way: The deal essentially sets up 2011-2012 to be a repeat of 2009-2010. Once again, there would be initial benefits from the stimulus, and decent growth a year before the election. But as the stimulus faded, growth would tend to stall — and this stall would, once again, come in the months leading up to the election, with seriously negative consequences for Mr. Obama and his party.



10
Dez 10
publicado por Nuno Gouveia, às 15:17link do post | comentar

Depois de vários Secretários de Estado republicanos e do presidente George H. Bush, hoje foi a vez de John McCain expressar o seu apoio à ratificação do Tratado Start. Para tal suceder, são precisos os votos de 67 senadores, mas ainda há esperanças que tal possa ser alcançado até ao final do ano.

 


publicado por Nuno Gouveia, às 14:50link do post | comentar | ver comentários (2)

A lei Don't Ask Don't Tell no exército americano está viva e não será revogada nos próximos dois anos. Depois dos democratas terem falhado ontem a tentativa de aprovar a sua revogação, nos próximos dois anos, com maioria republicana na Câmara dos Representantes, não haverá outra oportunidade. As responsabilidades recaem, em primeiro lugar, nos republicanos que votaram massivamente contra esta lei. Mas Harry Reid não escapa, pois não conseguiu trazer para o seu lado alguns republicanos que se manifestaram a favor da sua revogação, como Scott Brown, Lisa Murkowski ou Olympia Snowe. Ao introduzir alguns aspectos que estes não concordavam, ao não se limitar a propor a revogação do DADT na lei, Reid acabou por ditar a sua sentença de morte. Susan Collins, a única republicana que votou favoravelmente, acusou Reid de desistir da negociação antes de levar a lei ao Senado. O único democrata que votou contra foi Joe Manchin, que até ao momento, tem votado sempre ao lado do GOP. Depois de 2012 há mais, isto se os democratas recuperaram o controlo das duas câmaras do Congresso.

 

Adenda: No Politico discute-se que ainda há uma luz ao fundo do túnel. A proposta de uma lei que vise somente a revogação do DADT ainda é uma possibilidade. Veremos se os Democratas ainda levam esta lei a votação este ano.


09
Dez 10
publicado por Nuno Gouveia, às 23:57link do post | comentar | ver comentários (2)

O casal James Carville e Mary Matalin analisam na CNN as promessas de Barack Obama. Carville, estratega democrata, acusa o Presidente de "capitular" perante os republicanos na questão dos "Bush Tax Cuts". A sua esposa, estratega republicana, diz que Obama está a mover-se para o centro e prosseguir políticas centrais da Administração W. Bush.

 

PS: Este é sem dúvida o casal mais interessante da vida política norte-americano.


arquivos
2017:

 J F M A M J J A S O N D


2016:

 J F M A M J J A S O N D


2015:

 J F M A M J J A S O N D


2014:

 J F M A M J J A S O N D


2013:

 J F M A M J J A S O N D


2012:

 J F M A M J J A S O N D


2011:

 J F M A M J J A S O N D


2010:

 J F M A M J J A S O N D


pesquisar neste blog
 
subscrever feeds