04
Fev 16
publicado por Nuno Gouveia, às 00:43link do post | comentar

Num ano normal, os endorsements de senadores, congressistas e governadores costumam ser um bom indicador para sabermos quem irá obter a nomeação. Estes são importantes para obter apoio nos diferentes estados, pois apesar dos políticos terem relativamente má imagem na generalidade da sociedade, os americanos gostam dos seus eleitos (as taxas elevadas de reeleição assim o provam). Esta campanha republicana tem sido atípica e não é por acaso que  tem havido poucos endorsements, comparativamente com outros anos eleitorais. Do lado democrata, Hillary tem uma vantagem avassaldora sobre Bernie Sanders.

 

Nate Silver tem um endorsement tracker e anunciou hoje que Marco Rubio passou para a liderança do lado republicano, depois de ter recebido o apoio do senador da Pensilvânia, Pat Toomey e de mais dois congressistas. O segundo classificado é Jeb Bush, apesar dos seus apoios terem sido quase todos recebidos na fase inicial desta campanha. Desde Dezembro apenas recebeu o apoio do senador Lindsay Graham, depois deste ter desistido da eleição. De resto, destaque para Donald Trump, que não tem um único apoio de eleitos republicanos, enquanto Ted Cruz apenas tem o apoio de congressistas. Marco Rubio recebeu hoje também o apoio de Rick Santorum, que anunciou a sua desistência da corrida presidencial. Do lado democrata, não há duvidas de que lado está o Partido: no ranking de Silver, Hillary Clinton tem 465 pontos contra dois de Bernie Sanders, que correspondem ao apoio de dois congressistas. Depois do New Hampshire, a sucessão de endorsements deverá aumentar, sobretudo do lado republicano. 


15
Out 12
publicado por Nuno Gouveia, às 23:40link do post | comentar | ver comentários (10)

Uma sondagem da Gallup/USA Today dá hoje uma vantagem de 5% a Mitt Romney sobre Barack Obama em 12 swing-states (Nevada, Colorado, Novo México, Iowa, Wisconsin, Michigan, Ohio, Pensilvânia, Virginia, Carolina do Norte, New Hampshire e Florida). Esta sondagem é surpreendente se tivermos em conta que inclui o Novo México, Michigan e Pensilvânia, estados estes que têm estado claramente na coluna de Obama. A grande novidade? Empate no voto feminino nestes estados. Na média do Real Clear Politics, Romney surge com a vantagem de... 0,1%. 

 

Mitt Romney angariou cerca de 170 milhões de dólares durante o mês de Setembro. Uma soma fantástica, mas mesmo assim inferior aos 181 milhões de Barack Obama, que se tornará em breve o primeiro candidato a ultrapassar os mil milhões de dólares numa campanha. Na angariação de fundos, Obama já ganhou. 

 

Piers Morgan, o apresentador britânico da CNN, escreveu um curioso artigo sobre Mitt Romney: "He's one of the least principled politicians I've met. But I believe Mitt Romney might just save America". Uma espécie de endorsement


15
Mai 12
publicado por Nuno Gouveia, às 23:05link do post | comentar | ver comentários (1)

George W. Bush declarou hoje o seu apoio a Mitt Romney. Sem surpresa, esta decisão do anterior Presidente cumpre uma tradição de todos os antigos ocupantes da Casa Branca apoiarem os nomeados do seu partido. W não será uma cara visível nesta campanha, por dois motivos: a forma como terminou a sua presidência, com a crise económica que rebentou em 2008 ainda está bem viva aos olhos dos americanos e o 43º Presidente tem declarado insistentemente que não pretende voltar a ter um papel activo na política. 


01
Abr 12
publicado por Nuno Gouveia, às 19:53link do post | comentar

Na próxima terça-feira realizam-se mais umas primárias: Maryland (37 delegados) e DC (17) e Wisconsin (42). Se nos dois primeiros estados Romney irá vencer com facilidade, no Wisconsin a situação permanece de alguma forma dúbia. Isto apesar das sondagens indicarem que Romney é o claro favorito, e nos últimos dias tem recebido apoios de peso. Além do já citado Marco Rubio, ganhou ainda dois importantes aliados no estado do Wisconsin. Na sexta-feira o congressista Paul Ryan, importante figura do movimento conservador americano, colocou-se ao lado de Romney e apareceu a seu lado em diversos eventos públicos e na Fox News. Este Domingo foi a vez do senador republicano Ron Johnson. Bem sei que os endorsements neste ciclo eleitoral têm contado muito pouco, mas com vários republicanos conservadores a transmitirem ao eleitorado o sinal que estas primárias terminaram, desta vez pode ser diferente. Se Romney vencer no Wisconsin com valores perto dos 50%, será devastador para a campanha de Rick Santorum, que ainda tenta resistir até às primárias sulistas de Maio. Veremos se passa de Abril. 


29
Mar 12
publicado por Nuno Gouveia, às 09:04link do post | comentar | ver comentários (1)

 

"I am going to endorse Mitt Romney and the reason why is not only because he will be the Republican nominee, but he offers at this point, such a stark contrast to the president's record. I mean, look at the President's record. This is someone has run the country, not very well over the last 3 years, but has no experience beyond doing that"

"At the same time, he has no experience with the private sector or the free enterprise system. In Mitt Romney, we have a candidate, an alternative, in addition to being successful as a Governor running an important state in this country, he has also been successful in the private sector and offers a very clear alternative to the direction that this president's going to take our country," 

 

O endorsement de Marco Rubio era provavelmente o mais apetecível deste ciclo eleitoral. E foi com estas palavras que ontem à noite o senador da Flórida se colocou ao lado da candidatura de Mitt Romney. Depois do apoio de Jeb Bush, e a das palavras calorosas de Jim DeMint e Lindsay Graham, restam poucas dúvidas que Romney tem o caminho aberto para a nomeação. Depois de ter afirmado que não iria declarar o apoio a ninguém nestas primárias, Rubio volta atrás, precisamente num momento em que tem havido muita especulação que será o escolhido para candidato a Vice Presidente. E por muito que Rubio continue a negar essa possibilidade, sabemos que ninguém diz não a tal convite.

 

Ao contrário do que tem sido dito, incluindo por nós neste blogue, é possível que Romney consiga fechar a nomeação já em Abril, pois pode vencer todos os estados. O mais difícil, a Pensilvânia, pode ser decisiva caso Romney consiga derrotar Rick Santorum no seu estado natal. Ontem saiu uma sondagem que o colocava apenas dois pontos atrás.


21
Mar 12
publicado por Nuno Gouveia, às 18:13link do post | comentar | ver comentários (4)

Após a vitória de Romney ontem no Illinois (46%-35%) o establishment mediático americano parece finalmente convencido que o Partido Republicano já tem o seu nomeado - apesar de já ser óbvio há muito tempo. Ao ler os comentários nos jornais, nos blogues e nas televisões, o panorama traçado é o mesmo: Romney será o nomeado e não será necessário esperar até à nomeação. Por outro lado, os conservadores começam a ficar convencidos que terão de contar com Romney para derrotar Obama. Rush Limbaugh já disse que Romney é a alternativa conservadora... Romney, o influente blogger e comentador da CNN, Erick Erickson, admitiu que o GOP já tem nomeado e até na Weekly Standard (os que mais falaram numa convenção negociada), já se discute o parceiro de Romney no ticket republicano. Por outro lado, Jeb Bush que manteve-se até ao momento afastado, declarou o seu apoio a Mitt Romney e apelou ao partido para se unir em redor do presumível nomeado.

 

Formalmente estas primárias ainda não terminaram, e até é possível que os media voltem à carga. Rick Santorum tem uma boa oportunidade de vencer na Lousiana no Sábado, apesar que no dia 3 de Abril votam o Wisconsin, Maryland e DC, terreno fértil para Romney. Muito provavelmente nenhum dos adversários irá desistir a breve prazo, mas Romney coleccionará praticamente só vitórias até ao final e a atenção mediática irá ser cada vez menor. Dentro do estilo que se passou nas primárias democratas de 2008 depois do mês de Abril. Quanto a Romney irá virar as suas atenções para Obama, como o fez ontem no seu discurso de vitória (provavelmente o seu melhor desta campanha), e esperar pacientemente até alcançar os 1144 delegados. Foram umas primárias interessantes de acompanhar, mas desde que Tim Pawlenty desistiu no Verão passado que sempre disse que este caminho era inevitável. Romney teve o mérito de vencer apesar da grande desconfiança (que persiste) dos sectores conservadores, mas também é preciso dizer que teve adversários fracos. Esta longa campanha pode acabar por ser-lhe favorável na medida em que não teve a necessidade de desviar-se muito para a direita, mas principalmente porque passou meses a ser descrito nos media como o moderado. A tirada de Gingrich repetida mil e uma vez, "The Massachussetts Moderate" pode ser-lhe bastante útil quando começar a ser acusado de ser um ultra conservador pela máquina de Obama. 

 

Newt Gingrich e Ron Paul são nesta fase da corrida completamente irrelevantes. O primeiro ontem ficou atrás de Paul e neste momento apenas se arrasta pelas eleições. Já não é um factor e até pode ver-se ultrapassar em várias eleições por Paul, que tem uma legião de seguidores apaixonada. Paul chegou a prometer bastante, nomeadamente na tentativa de conquistar um leque de delegados que lhe permitisse ter peso na convenção, mas também parece ter fracassado nesse desígnio. Além disso, é o único candidato que não venceu nenhum estado.  


04
Mar 12
publicado por Nuno Gouveia, às 20:01link do post | comentar

Este Domingo trouxe mais duas boas notícias para Romney. Eric Cantor, Líder da Marioria Republicana no Congresso, declarou-lhe o seu apoio. Sendo congressista da Virginia, este endorsement poderá contribuir para uma vitória mais folgada de Romney no Old Dominion. Como tem apenas Ron Paul como seu adversário neste estado, Romney tem uma série hipótese de conquistar os 49 delegados em disputa, caso vença os distritos todos. As últimas sondagens deram-lhe intenções de voto próximas dos 70%. Mais relevante foi o apoio que recebeu do senador Tom Coburn do Oklahoma, num artigo de opinião assinado no jornal mais influente do estado. Coburn é uma das figuras mais respeitadas da ala conservadora do GOP. As últimas sondagens neste estado atribuem uma vantagem considerável a Rick Santorum, mas Mitt Romney tem vindo a diminuir a distância. 


02
Fev 12
publicado por Nuno Gouveia, às 15:47link do post | comentar | ver comentários (2)

 

Ontem ao final da noite surgiram os rumores: Donald Trump iria fazer um "major annoucement" hoje ao meio-dia. Imediatamente começou a especulação sobre o que iria dizer o milionário nova-iorquino que por um breve periodo liderou as sondagens nacionais do GOP e recentemente anunciara que se poderia candidatar como independente. Passado algumas horas parecia desfeita a dúvida: iria declarar o seu endorsement a Newt Gingrich. Mas como (quase) sempre sucede com Trump, ainda havia espaço para mais uma surpresa. E depois de vários artigos (NY Times, AP, Politico, NBC a darem como certo esse apoio e o que poderia significar para Gingrich, eis que Matt Drudge, sempre muito bem informado, "choca" o mundo: Donald Trump vai apoiar um candidato... mas este pode chamar-se Mitt Romney. Confusos? Também a generalidade da imprensa americana. Daqui a pouco veremos.

 

Adenda: Matt Drudge voltou a levar a melhor sobre os meios de comunicação social tradicionais. Donald Trump vai mesmo declarar o apoio a Mitt Romney.


29
Jan 12
publicado por Nuno Gouveia, às 12:00link do post | comentar | ver comentários (2)

 

Na sexta-feira o governador de Puerto Rico, Luis Fortuño, declarou o seu apoio a Mitt Romney. Este endoserment surge quando Romney está perto da vitória na Florida, sendo que Fortuño pode ser um importante reforço para a conquista da comunidade hispânica do estado. O evento realizou-se em Orlando, cidade onde vive a maior parte da comunidade de Puerto Rico, a segunda mais numerosa do estado depois dos cubanos. O governador, membro do New Progressive Party de Puerto Rico, está associado ao GOP e é uma estrela em ascensão no partido, tendo sido já referenciado como possível candidato a Vice presidente no ticket republicano deste ano. 

 

Puerto Rico é um território livre dos Estados Unidos. Apesar de não ter representantes no Congresso (elege apenas um comissário sem voto) nem ter direito a voto nas eleições presidenciais, os habitantes de Puerto Rico participam nas primárias dos partidos. A republicana deste ano realiza-se a 18 de Março e elege 23 delegados. Com este apoio, Romney deve também ter garantido a vitória no território (se as primárias ainda forem competitivas nessa altura). 

 

Mitt Romney aproveitou este evento também para declarar o seu apoio à anexação de Puerto Rico como 51º estado americano. Em Novembro realiza-se mais um referendo em Puerto Rico, convocado por Fortuño, sobre o estatuto político do território. Há três correntes políticas em Puerto Rico: os que defendem que a anexação, os que preferem a manutenção do actual estatuto e uma corrente ultraminoritária, que defende a independência. O partido de Fortuño, que tem republicanos e democratas, tem sido o grande defensor da anexação aos EUA, enquanto o Popular Democratic Party, associado do Partido Democrata, tem sido o grande defensor do status quo. Em 1993 realizou-se um referendo mas tudo se manteve na mesma, com uma curta vitória do status quo, com 48% contra 46%. No próximo dia 6 de Novembro, dia da eleição presidencial, irá a votos mais um referendo em Puerto Rico que coloca os seus cidadãos perante duas hipóteses: preferem manter o estatuto actual ou uma outra opção? Se a segunda vencer, como é esperado, irá realizar-se um segundo referendo com três opções: 51º estado, independência ou associação livre. As sondagens têm dado uma confortável vantagem à anexação de Puerto Rico. 

 

 


20
Jan 12
publicado por Nuno Gouveia, às 21:27link do post | comentar

 

No que poderá ser mais um verdadeiro golpe de teatro nestas primárias, Newt Gingrich é agora considerado pelas sondagens o favorito para vencer amanhã as primárias da Carolina do Sul. Mitt Romney, que nestes últimos três dias perdeu a dinâmica de vitória imparável que parecia possuir, apresentou hoje um reforço de peso para esta campanha presidencial. O governador da Virginia (e por diversas vezes falado para candidato a Vice Presidente) declarou hoje o seu endorsement e estará a participar neste momento num evento em Charleston, juntamente com Romney e Nikki Haley, a governadora da Carolinad do Sul. Irá influenciar a votação de amanhã? Não, mas isto coloca mais uma vez em evidência que a esmagadora maioria dos eleitos do Partido Republicano já escolheu o seu candidato contra Barack Obama.


19
Jan 12
publicado por Nuno Gouveia, às 23:27link do post | comentar

Poucos dias terão tido tanta acção nesta campanha como este. Em primeiro lugar, e como o Alexandre já deu nota aqui, Rick Perry abandonou a corrida e declarou o apoio a Newt Gingrich. Depois, informações vindas do Iowa indicam que o vencedor dos caucuses do Iowa terá sido Rick Santorum e não Romney. Uma vitória que não muda dinâmica na corrida (Santorum está em clara queda), mas que coloca alguma normalidade nestes resultados eleitorais. Ao longo do dia, têm ainda sido avançadas várias sondagens que dão vantagem a Gingrich para as primárias de sábado na Carolina do Sul. Para acabar o dia teremos ainda a entrevista de Marianne Gingrich à NBC e mais um debate na CNN às 1h00 (de Lisboa), já sem Perry. Quando se pensava que estas primárias estavam perto do seu término, eis que um leque de acontecimentos inesperados voltam a dar ânimo à corrida. Dito isto, mantenho a minha forte convicção que Mitt Romney será o nomeado republicano para defrontar Barack Obama. Mesmo que saia derrotado este sábado. 


04
Jan 12
publicado por Nuno Gouveia, às 19:23link do post | comentar

 

Há quatro anos foram os principais rivais nas primárias republicanas. Constava-se na altura que entre eles havia uma forte animosidade. O combate foi bastante duro e tiveram momentos de grande tensão e agressividade nos debates. Mas em política tudo se resolve. Nas vésperas das primárias New Hampshire, John McCain saiu da sua zona de conforto e declarou o apoio a Mitt Romney, ele que venceu as duas últimas (2000 e 2008). O establishment está a reunir-se em redor de Romney. Nas próximas semanas veremos muitos republicanos a declararem o seu endorsement a Mitt Romney. O próprio McCain deverá trazer consigo o senador Lindsay Graham da Carolina do Sul.

 

PS: Rick Perry anunciou hoje no Twitter que irá permanecer na corrida e competir na Carolina do Sul. Pelo que o seu período de reflexão, como o Alexandre Burmester referiu no post anterior, foi curto e não se confirmou a desistência. Uma boa notícia para Mitt Romney. 


27
Dez 11
publicado por Nuno Gouveia, às 22:57link do post | comentar

And there is only one candidate in the Republican field with the integrity, the experience, the organizational strength and the intelligence to beat Barack Obama and that man is Mitt Romney.

 

Editorial do Boston Herald 

 

O antigo governador do Massachusetts continua a recolher apoios. Um dos jornais mais antigos dos Estados Unidos (fundado em 1846), o Boston Herald, declarou hoje o apoio a Mitt Romney nas primárias republicanas, ao contrário de 2008, quando John McCain recebeu o seu endorsement.  Tenho referido que este tipo de acções não é decisiva nem muito relevante para o sucesso, ou não, de uma candidatura, mas é verdade que ajuda. Romney tem vindo a receber vários apoios, desde colunistas, políticos e jornais, o que contribui para o cenário que tem sido desenhado nos media desde há muito tempo, particularmente desde que outros republicanos proeminentes se afastaram da corrida: o da inevitabilidade da sua nomeação. 


22
Dez 11
publicado por Nuno Gouveia, às 19:33link do post | comentar

Admito que é sem surpresa que leio esta notícia. O Presidente George H. Bush declarou hoje o seu apoio formal a Mitt Romney. Não valerá (muitos) votos, mas volta a colocar na ordem do dia a inevitabilidade da nomeação de Romney. Com o leque de apoios que já recebeu (e ainda irá receber), será possível este Partido Republicano nomear outro candidato? Na política americana tudo é possível, mas... No final das primárias veremos se estou certo ou errado.


18
Dez 11
publicado por Nuno Gouveia, às 16:19link do post | comentar

 

Mitt Romney recebeu ontem mais uma importante notícia vinda do maior jornal do estado do Iowa: o endorsement do Des Moines Register. Numa bela tradição americana, o jornal explica em editorial as razões do seu apoio a Romney, em detrimento dos outros candidatos. Mas quer isto dizer que Romney fica com uma vantagem para vencer os caucuses? Nem sempre. Apesar de lhe dar uma imensa publicidade positiva nos media americanos durante este fim de semana (o endorsement do DMR é noticiado por todo o lado), a história indica-nos que nas três últimas eleições não acertarem em nenhum vencedor. Será este ano diferente?

 

Outra nota. No mesmo jornal, ontem foi publicado um anúncio de Bon Dole a declarar o seu apoio a Mitt Romney na corrida presidencial. Dole, o candidato derrotado por Bill Clinton na sua campanha de reeleição, venceu duas vezes os caucuses do Iowa (1988 e 1996).


16
Dez 11
publicado por Nuno Gouveia, às 08:20link do post | comentar

O jornal conservador Washington Examiner declarou ontem o apoio formal a Mitt Romney na corrida à nomeação republicana. E o editorial de apoio começou logo por invocar William F. Buckley, um dos país do conservadorismo americano moderno.  "Support the most conservative candidate who is electable". Suspeito que nos próximos tempos vamos ouvir muito falar desta "lei". 


07
Dez 11
publicado por Nuno Gouveia, às 16:57link do post | comentar

 

Os estudos realizados pelos cientistas políticos americanos indicam que um endorsement raramente é um factor decisivo numas eleições, mas que podem contribuir para introduzir uma dinâmica de vitória numa campanha. Recuando apenas quatro anos, recordo o apoio que Obama recebeu do clã Kennedy (Ted e Caroline) que o ajudaram imenso na super terça-feira, tal como o apoio que John McCain recebeu do então governador da Florida, Charlie Crist, que o ajudou a vencer as primárias do estado contra Mitt Romney e Rudy Giuliani.

 

Neste ciclo eleitoral, Mitt Romney tem vindo a recolher importantes apoios na máquina republicana. Nomes como o governador de New Jersey, Chris Christie, os senadores John Thune do Dakota do Sul, Kelly Ayotte do New Hampshire ou Scott Brown do Massachusetts, entre outros proeminentes republicanos, já se colocaram ao lado da sua campanha. Ao todo são 9 senadores, 46 congressistas e três governadores. E tem mais nomes em lista de espera para serem anunciados. Só para dar nota de comparação, Rick Perry apenas tem o apoio de 1 senador, 10 congressistas e 3 governadores, enquanto Newt Gingrich apenas tem 6 congressistas e um governador. Mas há uma lista de nomes, que pela sua origem e posição, podem ser essenciais para diversas primárias.

 

O Daily Beast publica hoje uma lista dos 10 nomes mais apetecíveis. Observando esta lista, acredito que John McCain e Jeb Bush deverão por certo apoiar Mitt Romney. Rudy Giuliani, poderá não o fazer, pois em 2008 Rick Perry, contra as expectativas, deu-lhe o seu apoio e será difícil Giuliani voltar-lhe as costas agora. Marco Rubio e Jim DeMint já disseram que não pretendem colocar-se ao lado de ninguém nas primárias, mas o seu apoio será muito importante na Florida e Carolina do Sul, caso surja para algum candidato. Os governadores do Iowa (Terry Branstad), Carolina do Sul (Nikki Haley) e Florida (Rick Scott) serão reforços valiosos nos seus estados. Por fim, Sarah Palin e Herman Cain, que deverão apoiar uma das alternativas a Mitt Romney, podem fazer a sua popularidade entre os meios do Tea Party valer muitos votos. Mas à excepção de Sarah Palin, Romney estará a disputar o apoio de todos os outros. Não será nenhum destes nomes a decidir o desfecho destas primárias, mas o seu apoio, se for dado numa altura crucial da campanha, pode ser muito relevante. Veremos quem irá ganhar a guerra dos endorsements. Até ao momento, Mitt Romney está a golear os seus adversários. 


11
Out 11
publicado por Nuno Gouveia, às 22:33link do post | comentar

O único aspecto surpreendente deste apoio é o timming, pois já era esperado que Chris Christie fosse apoiar Mitt Romney. Sempre pensei que Christie fosse esperar mais algum tempo para tomar esta decisão. Olhando para o campo de candidatos, dificilmente Romney não levará com o grosso de apoios entre o establishment e republicanos do Congresso e governos estaduais. Este endorsement significa um apoio de peso para Mitt Romney, que vê assim reforçado o seu favoritivismo na corrida à nomeação, e afasta cada vez mais Rick Perry dos círculos poderosos do partido. Perry neste momento parece ter apenas força no Sul dos Estados Unidos, e os seus apoios fora dessa região contam-se pelos dedos. Outro aspecto a não desconsiderar é que pode fazer com que alguns tea partiers e eleitores conservadores, até ao momento muito desconfiados de Romney, comecem a olhar para ele de forma diferente. Afinal de contas, muitos dos incentivos que Christie recebeu para se candidatar vinham dos sectores mais conservadores do partido. Além disso, este apoio cimenta aquilo que já vinha acontecer desde a saída definitiva de cena do governador de New Jersey: os milionários republicanos vão começar a doar dinheiro, muito dinheiro, para os cofres de Romney. E este terá uma grande vantagem financeira durante as primárias. 

 

Esta noite haverá mais um debate republicano, onde as atenções estão viradas, mais uma vez, para Rick Perry, que tem tido debates decepcionantes. O debate irá realizar-se no Darmouth College e será emitido às 2h00 (de Lisboa) no Bloomberg e no site do Washington Post


12
Set 11
publicado por Nuno Gouveia, às 20:30link do post | comentar

 

Bobby Jindal irá anunciar esta noite o seu apoio a Rick Perry. Depois da notícia da manhã, com o apoio de Tim Pawlenty a Mitt Romney, a campanha de Perry responde da melhor forma. Este é o inicio da "batalha" de endorsements, que provavelmente não irá parar tão cedo. Sendo cada vez mais improvável que alguém credível de junte à corrida, os principais responsáveis do Partido Republicano vão começar a escolher lados. E por muito que digam que os endorsements não contam, a verdade é que dão credibilidade  e geram um leque enorme de notícias para a candidatura. E no caso de governadores, estes apoios podem ser importantes, especialmente devido às primárias desse estado. Uma boa notícia para Perry. 

 

Governador da Lousiana, Jindal tem apenas 40 anos e é uma das estrelas do movimento conservador americano. Várias vezes falado para outros voos, a verdade é que é novamente candidato a um segundo mandato nas eleições desde ano para o cargo de governador. Mas não tem sequer opositor e continua a ser um dos nomes mais falados para candidato a VP. Se Rick Perry for o nomeado, estará na linha da frente. 

 

Esta noite realiza-se mais um debate, desta na CNN. Às 2h00, de Lisboa. 


publicado por Nuno Gouveia, às 13:05link do post | comentar

Um mês depois de desistir da sua candidatura, Tim Pawlenty declarou hoje o apoio a Mitt Romney e juntou-se à sua campanha nacional. Um endorsement pouco surpreendente, que pode indicar algo que me parece evidente: se não houver nenhuma entrada tardia na corrida, grande parte dos moderados e do establishment republicano irá colocar-se ao lado de Mitt Romney contra Rick Perry. 


Em destaque
José Gomes André

Investigador de Filosofia Política, redigiu tese de doutoramento sobre James Madison. Autor de "Sistema Político e Eleitoral Norte-Americano: um Roteiro" (Esfera do Caos, 2008). Escreve também no Delito de Opinião.
ver perfil
ver posts
Nuno Gouveia

Autor de uma tese de mestrado sobre as eleições presidenciais americanas de 2008. Escreve também no 31 da Armada e Cachimbo de Magritte.
ver perfil
ver posts
Alexandre Burmester

Define-se como um "ávido seguidor amador" da política americana, que acompanha há mais de 40 anos. As suas habilitações académicas situam-se na área da Língua e Literatura Inglesas e foi quadro de uma multinacional canadiana
ver perfil
ver posts
arquivos
2017:

 J F M A M J J A S O N D


2016:

 J F M A M J J A S O N D


2015:

 J F M A M J J A S O N D


2014:

 J F M A M J J A S O N D


2013:

 J F M A M J J A S O N D


2012:

 J F M A M J J A S O N D


2011:

 J F M A M J J A S O N D


2010:

 J F M A M J J A S O N D


pesquisar neste blog