05
Fev 16
publicado por Alexandre Burmester, às 00:15link do post | comentar

Historical_plaque,_NH_presidential_primary_IMG_268

 

O Estado de New Hampshire (the Granite State) tem um longo e rico historial nas eleições presidenciais americanas. O facto de nele ter lugar a primeira primária propriamente dita contribui largamente para isso, como é óbvio.

 

Em New Hampshire, muitos candidatos criaram ilusões e ganharam confiança, e muitos também sofreram grandes desilusões.

 

De facto, embora seja muito importante a votação neste estado, há muitos casos de vencedores que acabaram por fracassar no objectivo da nomeação como candidatos do seu partido.

 

Alguns casos históricos (de notar que o peso das primárias nas convenções partidárias era menor até 1972 do que é agora):

 

- Em 1952 e 1956, o senador democrático Estes Kefauver venceu aqui, mas em ambos os anos, o candidato do partido foi Adlai Stevenson, antigo governador do Illinois;

- Em 1960, o Vice-Presidente Richard Nixon venceu o estado com 89% dos votos republicanos, o que deve constituir um recorde para um candidato que não fosse já presidente. Nixon seria o nomeado republicano.

- No mesmo ano, do lado democrático, John Kennedy teve 85% dos votos, mas provinha do vizinho estado de Massachusetts, o que é sempre uma ajuda.

- Em 1968, o New Hampshire foi determinante: o Presidente Lyndon Johnson foi desafiado pelo Senador Eugene McCarthy. Venceu, mas apenas por 50% - 42%. Essa vitória curta levaria Johnson a abandonar a corrida poucos dias depois.

- Ainda em 1968, Richard Nixon iniciou o seu regresso após as derrotas nas presidenciais de 1960 e na eleição para governador da Califórnia em 1962, com mais uma retumbante vitória (78% - aliás venceria todas as primárias a que concorreu). Em Novembro seria eleito.presidente.

- Em 1972, o Senador democrático Edmund Muskie, favorito à nomeação pelo seu partido, venceu a primária, mas acabaria por não ser o nomeado, Seria "vítima" de uma espécie de Bernie Sanders da época, o seu colega no Senado George McGovern.

- Em 1980, Ronald Reagan deu um passo firme na sua afirmação como potencial candidato republicano, ao vencer o estado com 50% dos votos contra 23% de George H. W. Bush.

- Em 1992, o Senador Paul Tsongas bateu o Governador do Arkansas, Bill Clinton (33%-25%), mas Clinton seria o nomeado pelos democratas.

- Em 1996, Pat Buchanan conseguiu uma vitória tangencial (27%-26%) sobre o Senador Bob Dole, mas seria este último o nomeado republicano.

- Em 2000, o Senador John McCain venceu o Governador do Texas George W. Bush (49%-30%), mas isso de nada lhe valeria, como sabemos.

- E, finalmente, em 2008, a Senadora Hillary Clinton venceu o Senador Barack Obama (39%-36%), mas também aí, isso de nada valeria,

 

Uma coisa é certa: o último presidente a ser eleito tendo perdido Iowa e New Hampshire nas primárias foi Bill Clinton. Este ano a coisa é capaz de se repetir.

 

 

 


Em destaque
José Gomes André

Investigador de Filosofia Política, redigiu tese de doutoramento sobre James Madison. Autor de "Sistema Político e Eleitoral Norte-Americano: um Roteiro" (Esfera do Caos, 2008). Escreve também no Delito de Opinião.
ver perfil
ver posts
Nuno Gouveia

Autor de uma tese de mestrado sobre as eleições presidenciais americanas de 2008. Escreve também no 31 da Armada e Cachimbo de Magritte.
ver perfil
ver posts
Alexandre Burmester

Define-se como um "ávido seguidor amador" da política americana, que acompanha há mais de 40 anos. As suas habilitações académicas situam-se na área da Língua e Literatura Inglesas e foi quadro de uma multinacional canadiana
ver perfil
ver posts
arquivos
2016:

 J F M A M J J A S O N D


2015:

 J F M A M J J A S O N D


2014:

 J F M A M J J A S O N D


2013:

 J F M A M J J A S O N D


2012:

 J F M A M J J A S O N D


2011:

 J F M A M J J A S O N D


2010:

 J F M A M J J A S O N D


pesquisar neste blog