17
Dez 10
publicado por Nuno Gouveia, às 15:19link do post | comentar

Na semana em que Sarah Palin regressou à antena dos mainstream media, uma sondagem explica o seu mal-estar: cerca de 60 por cento dos americanos coloca de parte a hipótese de votar nela para Presidente dos Estados Unidos. Este é o principal problema para uma candidatura presidencial de Palin: apesar da sua popularidade entre os conservadores americanos, os seus números entre independentes continuam miseráveis. Ao contrário de outros potenciais candidatos republicanos, que são completamente desconhecidos do povo americano, Palin tem um elevado grau de notoriedade. Palin nos últimos dois anos transformou-se numa figura altamente divisiva na sociedade americana, e dificilmente poderá reverter a situação com uma campanha presidencial ao seu estilo. Acredito que os seus conselheiros estarão neste momento a pensar na viabilidade de lançar-se à nomeação republicana em 2012. Porque Palin certamente não quererá transformar-se num George McGovern ou Walter Mondale do Partido Republicano.


Não é necessário levantar os fantasmas (salvo seja!) do McGovern e do Mondale, Nuno. Há o Barry Goldwater como antecedente no Partido Republicano.;-)
Alexandre Burmester a 17 de Dezembro de 2010 às 23:29

Certíssimo. Mas ao contrário de McGovern e Mondale, a derrota de Goldwater serviu para incutir no GOP uma nova era do conservadorismo americano, que culminou na eleição de Reagan. McGovern e Mondale nada representaram no Partido Democrata. Daí a minha chamada deles para comparação com Palin :)
Nuno Gouveia a 19 de Dezembro de 2010 às 22:23

Em destaque
José Gomes André

Investigador de Filosofia Política, redigiu tese de doutoramento sobre James Madison. Autor de "Sistema Político e Eleitoral Norte-Americano: um Roteiro" (Esfera do Caos, 2008). Escreve também no Delito de Opinião.
ver perfil
ver posts
Nuno Gouveia

Autor de uma tese de mestrado sobre as eleições presidenciais americanas de 2008. Escreve também no 31 da Armada e Cachimbo de Magritte.
ver perfil
ver posts
Alexandre Burmester

Define-se como um "ávido seguidor amador" da política americana, que acompanha há mais de 40 anos. As suas habilitações académicas situam-se na área da Língua e Literatura Inglesas e foi quadro de uma multinacional canadiana
ver perfil
ver posts
arquivos
2017:

 J F M A M J J A S O N D


2016:

 J F M A M J J A S O N D


2015:

 J F M A M J J A S O N D


2014:

 J F M A M J J A S O N D


2013:

 J F M A M J J A S O N D


2012:

 J F M A M J J A S O N D


2011:

 J F M A M J J A S O N D


2010:

 J F M A M J J A S O N D


pesquisar neste blog