05
Nov 10
publicado por Nuno Gouveia, às 15:04link do post | comentar

O Partido Democrata e Barack Obama emergem destas eleições como os principais derrotados. Não há spin que consiga dar a volta a esta realidade. A sua agenda foi fortemente rejeitada pelos eleitores nestas eleições, mas a partir de agora passarão a ter alguém para partilhar as responsabilidades pelo que correr mal. Isto ainda se pode transformar numa força para 2012.


Nancy Pelosi, que irá deixar a posição de Speaker, perdeu em toda a linha. Ao perder mais de 60 congressistas na Câmara dos Representantes, e com vários democratas a fazerem campanha contra ela, é a cara da derrota nestas intercalares. Tem havido rumores que pretende manter-se como líder da minoria democrata, mas não sei se terá os votos necessários para tal. As derrotas de Blanche Lincoln no Arkansas e Russ Feingold no Wisconsin simbolizam também a queda dos Blue Dogs, a facção centrista do partido no Congresso. Estes resultados significam também que o Partido Democrata ficou mais à esquerda, com muitos centristas a serem corridos de Washington. Ted Strickland no Ohio e Alex Sink na Florida representam o enfraquecimento dos democratas ao nível dos governadores estaduais. Importantes swing states caíram nas mãos dos republicanos, o que poderá ter importantes repercussões em futuras eleições, nomeadamente nas presidenciais de 2012 e nas eleições para a Câmara dos Representantes da próxima década. Por fim, um dos grandes derrotados deste ciclo eleitoral: Charlie Crist na Florida. Apontado como potencial VP de John McCain em 2008, surgiu no inicio desta campanha como o quase certo senador da Florida e possível candidato presidencial no futuro. Ao ser derrotado por Rubio nas primárias, rasgou as vestes e assumiu-se como independente, muito próximo dos democratas. Acabou por ser severamente derrotado e destroçado, politicamente falando. Não tem futuro.


No Partido Republicano também há derrotados. A começar pelas escolhas pouco convencionais feitas em algumas primárias, como no Delaware, Colorado, Nevada e Alaska. Podia escolher os próprios derrotados, mas prefiro apontar para quem criou estes candidatos: Sarah Palin e Jim DeMint. Eles quiseram purgar o partido, afastando todos aqueles que se desviam da pureza ideológica. Apesar de terem contribuído para importantes vitórias, são os principais responsáveis pelos resultados aquém das expectativas no Senado. Com estas derrotas, não vão ter vida fácil no Partido a partir de agora. Que se preparem para a guerra com o establishment republicano. Por fim, as duas candidatas na Califórnia, Carly Fiorina e Meg Withman. Esta última gastou 160 milhões de dólares da sua fortuna pessoal, mas ficou muito longe de Jerry Brown. Pensou-se que estas duas mulheres poderiam fazer renascer o GOP no estado, mas os eleitores recusaram liminarmente as suas ideias.


De acordo, menos com "A sua agenda foi fortemente rejeitada pelos eleitores nestas eleições". Parece-me que aqui está a exagerar, a puxar para o lado mais televisivo e menos cientifico...certamente que não estou a dizer-lhe nada de novo, mas para as pessoas que sabem menos sobre política talvez seja interessante ver um paper recentemente publicado que sintetiza algumas informações e dá uma boa amostra dos principais papers sobre vários assuntos de ciência política. Noel, Hans (2010) "Ten Things Political Scientists Know that You Don’t," The Forum: Vol. 8 : Iss. 3, Article 12
Publius a 5 de Novembro de 2010 às 17:33

Em destaque
José Gomes André

Investigador de Filosofia Política, redigiu tese de doutoramento sobre James Madison. Autor de "Sistema Político e Eleitoral Norte-Americano: um Roteiro" (Esfera do Caos, 2008). Escreve também no Delito de Opinião.
ver perfil
ver posts
Nuno Gouveia

Autor de uma tese de mestrado sobre as eleições presidenciais americanas de 2008. Escreve também no 31 da Armada e Cachimbo de Magritte.
ver perfil
ver posts
Alexandre Burmester

Define-se como um "ávido seguidor amador" da política americana, que acompanha há mais de 40 anos. As suas habilitações académicas situam-se na área da Língua e Literatura Inglesas e foi quadro de uma multinacional canadiana
ver perfil
ver posts
arquivos
2017:

 J F M A M J J A S O N D


2016:

 J F M A M J J A S O N D


2015:

 J F M A M J J A S O N D


2014:

 J F M A M J J A S O N D


2013:

 J F M A M J J A S O N D


2012:

 J F M A M J J A S O N D


2011:

 J F M A M J J A S O N D


2010:

 J F M A M J J A S O N D


pesquisar neste blog