17
Fev 13
publicado por Nuno Gouveia, às 11:17link do post | comentar

 

Não foi durante a Administração Obama que eles começaram a ser utilizados, mas esse será um dos seus legados quando daqui a décadas se falar no nome do actual Presidente. Utilizados inicialmente apenas para eliminar alvos terroristas no estrangeiro, o seu uso tem-se intensificado a outros sectores (na perseguição de criminosos ou na vigilância, por exemplo). No ano passado foi tornado público que o Presidente Obama mandou matar mais de 100 terroristas da Al Qaeda através do recurso aos Drones, incluindo dois cidadãos americanos que viviam no Iémen. E apesar de nas últimas semanas ter havido um debate sobre o tema, porque será que esta questão nunca suscitou grande polémica nos Estados Unidos, sobretudo nas facções mais liberais e de defesa dos direitos humanos? Está certo, a ACLU tem criticado a utilização de Drones na vigilância de cidadãos americanos, mas a esmagadora maioria das organizações ligadas ao Partido Democrata têm estado em silêncio, quando sabe-se que se estivesse no poder uma Administração Republicana este assunto seria alvo de critica violenta por parte deles. Ao mesmo tempo, os republicanos são genericamente apoiantes. Dick Cheney disse esta semana que a eliminação de terroristas por Drones é um bom programa e, em regra, os republicanos têm estado de acordo com as políticas do Presidente nesta matéria. Resultado deste consenso? No futuro os Drones serão uma realidade massificada, e o seu uso vai alargar-se a outras áreas. Obama, com o beneplácito dos republicanos e apoio dos democratas, institucionalizou a utilização de Drones para qualquer utilidade que lhe possam dar. Se isso será positivo ou negativo, o futuro o dirá. 


Bem, Nuno, isto é como Guantánamo. Depende de quem o faz. A própria execução de Bin Laden teria, a meu ver, dado que falar se ordenada pelo maléfico "W.".
Alexandre Burmester a 17 de Fevereiro de 2013 às 20:22

Certamente. A eliminação de Bin Laden teria merecido coro internacional de críticas. Quando foi Sadam, e a decisão e operação foi apenas dos iraquianos, o Bush foi crucificado pela situação. Imagino o que diriam se tivesse sido ele a ordenar a eliminação de Bin Laden. No entanto, e apesar desta falta de coerência, desenhou-se um consenso na luta contra o terrorismo que será mais dificil de quebrar no futuro. Mal ou bem, a forma como lidar com terroristas está traçada.
Nuno Gouveia a 17 de Fevereiro de 2013 às 23:02

"Only Nixon could go to China"
Miguel Madeira a 26 de Fevereiro de 2013 às 19:51

Boa comparação :)
Nuno Gouveia a 28 de Fevereiro de 2013 às 17:10

Em destaque
José Gomes André

Investigador de Filosofia Política, redigiu tese de doutoramento sobre James Madison. Autor de "Sistema Político e Eleitoral Norte-Americano: um Roteiro" (Esfera do Caos, 2008). Escreve também no Delito de Opinião.
ver perfil
ver posts
Nuno Gouveia

Autor de uma tese de mestrado sobre as eleições presidenciais americanas de 2008. Escreve também no 31 da Armada e Cachimbo de Magritte.
ver perfil
ver posts
Alexandre Burmester

Define-se como um "ávido seguidor amador" da política americana, que acompanha há mais de 40 anos. As suas habilitações académicas situam-se na área da Língua e Literatura Inglesas e foi quadro de uma multinacional canadiana
ver perfil
ver posts
arquivos
2016:

 J F M A M J J A S O N D


2015:

 J F M A M J J A S O N D


2014:

 J F M A M J J A S O N D


2013:

 J F M A M J J A S O N D


2012:

 J F M A M J J A S O N D


2011:

 J F M A M J J A S O N D


2010:

 J F M A M J J A S O N D


pesquisar neste blog