19
Set 12
publicado por Nuno Gouveia, às 10:29link do post | comentar

Em temop de eleições, é normal comentadores e sobretudo pessoas menos atentas ao fenómeno clamarem: "depois disto, já perdeu". Nesta campanha presidencial já ouvimos isso mil e uma vezes. Aliás, começou quando Osama Bin Laden foi morto, com vários "especialistas" a declararem "Obama já está reeleito". Romney já foi morto e enterrado diversas vezes. As últimas vezes aconteceram depois da subida de Obama pós convenção e agora, com o seu vídeo dos 47%. Certo, Obama permanece favorito e até é provável que ganhe. E não digo que daqui a dois meses digamos: este foi o período em que Romney começou a perder. Talvez. Mas o que é inegável é que esta corrida mantém-se incrivelmente renhida e estável. Ontem, e depois da imprensa americana ter declarado Romney morto, mais uma vez, nas tracking polls a Gallup dava apenas 1 ponto de vantagem a Obama e a Rasmussen dois pontos a Romney. Com este buzz em redor do Romney, é provável que os números voltem a distanciar-se um pouco a favor de Obama, mas nada garante que Romney não regresse ao empate técnico. Neste momento diria que Obama terá assegurado os 47% do eleitorado que Romney referiu, enquanto o republicando andará à volta dos 45%. Logo ambos os candidatos têm margem suficiente para crescer e ganhar. Penso que no final dos debates teremos uma visão mais clara do resultado final. Agora, numa campanha tão disputada como esta estar a dizer "está ganho" ou "ele já perdeu" parece-me uma manifestação infantil de "wishfull thinking" que esbarra com a realidade que temos observado. E com isso ninguém ganha (do ponto de vista analítico).


Após as eleições releia este seu texto desesperado...

Será uma lição de vida.
Southern Confederated Gentleman a 19 de Setembro de 2012 às 12:06

"Desesperado".. Eheh. Anónimo, você é um comediante...
Nuno Gouveia a 19 de Setembro de 2012 às 12:19

Com uma alcunha dessas, presumo que você pertença à antiga ala sulista e -como dizê-lo? - pouco amiga da raça negra, que durante 100 anos dominou a política no Sul dos Estados Unidos, e daí a sua antipatia pelos republicanos, o partido de Lincoln!;-)

Se sabe algo de substantivo dobre a história dos EUA, saberá do pretexto e contexto cínico em que foi usada a questão da escravatura da raça negra (a propóstito, tão válida como qualquer outra) no sul...
Southern Confederated Gentleman a 22 de Setembro de 2012 às 11:18

Certamente apoiante de Democratas como George Wallace ou Theodore Bilbo, entre tantos outros.
Nuno Gouveia a 22 de Setembro de 2012 às 11:40

Está a querer dizer que Obama já ganhou?
Se sim, não se percebe porque é que Obama continua a gastar milhões nos Swng states e a deslocar-se ufanamente aos talkshows, em campanha total...
O posto do Nuno Gouveia parece-me sensato.
Hoje em dia Obama leva uma pequena vantagem, de cerca de 2 pontos, e começa a ganhar algum terreno no Ohio, sendo que a pensilvania e o NH serão dele, aparentemente. Mas daí a dizer-se que a campanha acabou vai uma enorme diferença. Atenção á florida, colorado, wisconsin e nevada. Virginia é essencial Acresce que na carolina do norte, indiana, missouri romney está bem seguro.
Miguel Direito a 19 de Setembro de 2012 às 12:24

Em relação ao New Hampshire, caro Miguel Direito, hoje a Rasmussen dá a Romney uma vantagem de 48%/45%. Nacionalmente coloca o candidato republicano com uma vantagem de 47%/46%, com o mesmo número nos "swing states".

Está tudo muito aberto, mas não é a rasmunsen que é ligeiramente republicana? Pelo menos este ano parece ser, apesar de em 2008 ter sido a mais certeira. Mas na verdade vejo algumas vezes o próprio Rasmunsen na Fox...O que noto é que os média nacionais americanos são muito pró democrata e obama, sendo a comunicação social conservadora pouco forte a nivel nacional, o que é estranho! Só a fox, o NYPost e o WSJ são mais conservadores. Podiam fazer uns textos sobre esta clivagem ideológica entre os médias tradicionais a nivel nacional e a realidade ideológica dos votantes, menos liberais, no minimo!
Miguel Direito a 19 de Setembro de 2012 às 16:51

Sim, caro Miguel, Scott Rasmussen é um conservador, mas isso não invalida a credibilidade das suas sondagens, as quais, diga-se, têm a vantagem acrescida de incluirem apenas votantes prováveis nas suas amostras.

Quanto ao domínio "liberal" nos media, isso já vem de longe, e até já foi pior, pois dantes os conservadores não tinham a Fox News, por exemplo, nem os "talk radio hosts.

E hoje uma sondagem AP/GfK dá Obama 47%/Romney 46%. A mostra inclui cerca de 50% de votantes prováveis.

Parafraseando Mark Twain, as notícias acerca da morte de Mitt Romney são bastante exageradas.

E, agora como postei acima, parece que faltam 2 minutos ao célebre video de Romney publicado pelo Mother Jones. Deve ter sido a secretária do Nixon que os apagou (os conhecedores do Watergate perceberão o que quero dizer).
Alexandre Burmester a 19 de Setembro de 2012 às 14:08

47 +46=93. Faltam 7 %
André a 22 de Setembro de 2012 às 13:00

Não, caro André, os 7% em falta são votantes noutro candidato e indecisos.

outro candidato mas qual é o outro candidato? Desculpe a minha ignorancia mas partidos norte americanos só conheço o democrata e o republicana, existem mais? Porque é que nunca aparecerem nos media? Sempre fiquei intrigado como com país como os eua com tanta população tivesse só 2 partidos ate nós em portugal só com 10 milhoes temos 13 partidos
André a 23 de Setembro de 2012 às 09:21

Caro André,

Claro que não há só dois partidos nos EUA, embora haja dois partidos claramente dominantes, um esquema herdado de Inglaterra, onde, normalmente, o poder alterna entre Conservadores e Trabalhistas (a actual coligação em Londres é uma clara excepção), e até ao primeiro quartel do séc. XX oscilava entre Conservadores e Liberais (a ascenção dos Trabalhistas "sufocou" os Liberais, a esquerda tradicional em Inglaterra - note-se a diferente concepção de "liberal" entre o mundo anglo-saxónixo e o continente europeu, já que, no primeiro, o termo "liberal" é entendido mais em sentido político amplo, enquanto que, no segundo, é entendido essencialmente em termos económicos.

Obrigado pelas suas simpáticas palavras no seu outro comentário.

Mas os pequenos partidos não têm representatividade, como pode ver-se pelas intenções de voto nesta sondagem. O principal será o Libertário, mas há, muitas vezes, candidatos de várias "estranhas matizes" de Esquerda, como socialistas, trotsquistas e comunistas.

Finalmente, poderá haver em Portugal 13 partidos, mas só dois é que verdadeiramente contam, além de que o número de partidos não é necessariamente sintomático de maior ou menor grau de democracia.


Caro Alexandre,

gosto muito deste blog porque sempre se vai aprendendo coisas sobre a vida politica americana, que eu penso que, mesmo com as suas falhas, é a melhor democracia do mundo,
André a 23 de Setembro de 2012 às 09:24

Em destaque
José Gomes André

Investigador de Filosofia Política, redigiu tese de doutoramento sobre James Madison. Autor de "Sistema Político e Eleitoral Norte-Americano: um Roteiro" (Esfera do Caos, 2008). Escreve também no Delito de Opinião.
ver perfil
ver posts
Nuno Gouveia

Autor de uma tese de mestrado sobre as eleições presidenciais americanas de 2008. Escreve também no 31 da Armada e Cachimbo de Magritte.
ver perfil
ver posts
Alexandre Burmester

Define-se como um "ávido seguidor amador" da política americana, que acompanha há mais de 40 anos. As suas habilitações académicas situam-se na área da Língua e Literatura Inglesas e foi quadro de uma multinacional canadiana
ver perfil
ver posts
arquivos
2017:

 J F M A M J J A S O N D


2016:

 J F M A M J J A S O N D


2015:

 J F M A M J J A S O N D


2014:

 J F M A M J J A S O N D


2013:

 J F M A M J J A S O N D


2012:

 J F M A M J J A S O N D


2011:

 J F M A M J J A S O N D


2010:

 J F M A M J J A S O N D


pesquisar neste blog