02
Set 12
publicado por Nuno Gouveia, às 17:36link do post | comentar

 

Clint Eastwood resumiu, com uma simplicidade gritante, o principal objectivo da Convenção Republicana. À pergunta "are you better off now than four years ago?" feita originalmente por Ronald Reagan em 1980, os republicanos esperam agora que o povo americano respondam da mesma forma do que há 32 anos e mandem para casa Barack Obama. O discurso de Eastwood foi invulgar em muitas formas. Hollywood é um território hostil para os republicanos, onde são genericamente desprezados pela maioria da comunidade. Os republicanos que existem afastam-se da política e não dão a cara, como aliás Eastwood fez questão de dizer. Por outro lado, nas últimas décadas as convenções são eventos totalmente encenados, onde tudo que é dito é controlado pelas direcções das campanhas. Raros são os momentos como este que vimos de Eastwood, que falou de improviso e sem ter previamente comunicado à campanha de Romney as suas intenções. Ai de alguém que o ousasse fazer. Por vários motivos, a intervenção de Eastwood entrará para a história das convenções e, ao contrário do que li por aí em alguns círculos, poderá ter sido extremamente importante para Romney. Entre alguém como Clint Eastwood e os comentadores de alguns media, quem é que terá mais força? A sala explodiu em redor da intervenção de Eastwood e não me admirava que a reacção em casa dos americanos tenha sido idêntica. 


Pois, aqui a questão é que os americanos estão melhor que há 4 anos, depois de 8 anos da pior presidência das história dos EUA, o país estava em implosão financeira e a perder 700 000 empregos por mês. E se não fosse o obstrucionismo republicano o país poderia estar bem melhor
HCarvalho a 2 de Setembro de 2012 às 21:07

a américa tem perdido quota paulatinamente

ganhe quem ganhe

de resto a desmobilização parcial em 2014 vai afectar a indústria de armamento

tirando o Irão e mais déficit a américa goes down
duvidoso a 3 de Setembro de 2012 às 00:36

Os republicanos acham que esta eleição será uma repetição de 1980. Só há dois problemas:
Obama is no Carter.
Romney is no Reagan.
Joao Felipe a 2 de Setembro de 2012 às 21:24

Obama está pior que Carter

E romney tem mais apoios do poder económico vigente do que Reagan
e isso quer se queira quer não
gera beaucoup de botos

João Flipe is no Flipe XI
Flipe XI a 3 de Setembro de 2012 às 00:33

João Felipe,
Ninguém pensa que a eleição vai ser uma repetição de 1980. Se Romney vencer, será por curta margem e nunca pelos valores que Reagan venceu em 1980.
Nuno Gouveia a 2 de Setembro de 2012 às 22:36

Oi Nuno, li no Crystal Ball que a equipe de Romney acredita nessa possibilidade, e leio isso de leitores conservadores em outros blogs. Obviamente não estava falando de você.
Abs.
Joao Felipe a 2 de Setembro de 2012 às 22:48

Há dois pontos diferentes:

acreditar que Romney irá ganhar, tal como em 1980. Possível.

acreditar que Romney irá vencer com landslide, tal como em 1980. Impossível.
Nuno Gouveia a 3 de Setembro de 2012 às 01:23

Realmente, Joao Felipe is no Filipe xI, hehehe...
Joao Felipe a 3 de Setembro de 2012 às 01:31

Vamos pegar a teoria em que o Alexandre acredita:
Pega-se a última pesquisa da Rasmussen (Obama 44% Romney 48%) e aplica-se a teoria dos 20%/80% nos indecisos (5%).
Resultado:
Romney 52%
Obama 45%
Outros 3%
acredito que esse é o màximo que Romney pode conseguir. Mas não acho que esse será o resultado. Fico com o Nuno e penso que será uma eleição muito apertada.
Joao Felipe a 3 de Setembro de 2012 às 01:44

Caro João Felipe,

A minha posição não é uma questão de crença: baseia-se em estudos feitos ao longo de décadas.

Abraço

Ninguém comentou o fato de que, alguns meses antes, Eastwood recebeu pesadas críticas dos conservadores porque protagonizou aquela propaganda da Chrysler, "Halftime in America", veiculada no intervalo do Superbowl. Nela, dizia que a recuperação de Detroit (por conta do $$ público para a Chysler e GM) era o exemplo a ser seguido, a prova da recuperação da força da América... Qual dos Dirty Harry devemos discutir? O da ajuda estatal para as megaempresas, para recuperar os empregos, ou aquele que apoia a fúria fiscal de Paul Ryan?
Francisco Ferraz a 3 de Setembro de 2012 às 19:38

Em destaque
José Gomes André

Investigador de Filosofia Política, redigiu tese de doutoramento sobre James Madison. Autor de "Sistema Político e Eleitoral Norte-Americano: um Roteiro" (Esfera do Caos, 2008). Escreve também no Delito de Opinião.
ver perfil
ver posts
Nuno Gouveia

Autor de uma tese de mestrado sobre as eleições presidenciais americanas de 2008. Escreve também no 31 da Armada e Cachimbo de Magritte.
ver perfil
ver posts
Alexandre Burmester

Define-se como um "ávido seguidor amador" da política americana, que acompanha há mais de 40 anos. As suas habilitações académicas situam-se na área da Língua e Literatura Inglesas e foi quadro de uma multinacional canadiana
ver perfil
ver posts
arquivos
2016:

 J F M A M J J A S O N D


2015:

 J F M A M J J A S O N D


2014:

 J F M A M J J A S O N D


2013:

 J F M A M J J A S O N D


2012:

 J F M A M J J A S O N D


2011:

 J F M A M J J A S O N D


2010:

 J F M A M J J A S O N D


pesquisar neste blog