03
Ago 12
publicado por Nuno Gouveia, às 14:26link do post | comentar

 

O Politico, em colaboração com o Tampa bay Times e o The Charlotte Observer, lançou um espaço dedicado às duas convenções, que se realizam na última semana de Agosto (Republicana) e primeira semana de Setembro (Democrata). A RCN realiza-se em Tampa Bay, na Florida e a DNC em Charlotte, Carolina do Norte. Recordo a todos os interessados que estarei presente na Convenção Nacional Republicana, onde terei a oportunidade de publicar as minhas impressões sobre o evento, por aqui e pelo 31 da Armada.


Hoje sairam dados bastante positivos sobre mercado de trabalho nos EUA, Foram criados mais de 160 mil empregos quando a previsão era de 95 mil. A taxa de desemprego subiu para 8,3% mas isso se deve aos números fracos nos últimos três meses. Se o ritmo se manter assim, é uma grande vantagem para Obama.
Joao Felipe a 3 de Agosto de 2012 às 17:06

O problema, caro adepto de Obama, é que esses números não são suficientes para fazer baixar a taxa de desemprego, a qual, Obama "dixit", estaria agora na casa dos 6% após o seu "estímulo".

É tudo, em parte, uma questão de "spin", e você tenta dar-lhe o melhor "spin" que pode, claro!;-)

Abraço e obrigado pela sua participação.

Sou mais favorável a Obama, mas se frequento esse blog é porque me interesso pela opinião de vocês. Não sou um militante do partido democrata e sempre estou aberto ao debate.
Sobre a promessa de Obama, isso é ponto contra ele. Reagan também prometeu reduzir o déficit e sabemos o que aconteceu. Isso não tira o fato que ele foi um dos maiores presidentes dos EUA
Joao Felipe a 3 de Agosto de 2012 às 23:10

Reagan não foi um dos maiores presidentes, FD Roosevelt, Truman, Eisenhower, Lincoln foram grandes presidentes. O Reagan se fosse vivo hoje era democrata.
Uma pergunta, porque não vão à convenção Democrata?
HCarvalho a 5 de Agosto de 2012 às 10:01

Primeiramente, caro amigo, nós não vamos a convenção alguma. Apenas o meu prezado colega de blog Nuno Gouveia conseguiu uma credencial para a Convenção Republicana.

Mas concordará que, em ano em que há um presidente que se recandidata, a convenção do seu partido é menos interessante que a da oposição?


Anda a propósito da sua pergunta acerca da "nossa" ausência da Convenção Democrática devo dizer-lhe, caro amigo, que tentei junto dos Reverendos Al Sharpton, Jesse Jackson e Jeremiah Wright - todos conhecidos como grandes "moderados" - as devidas credenciais, mas até hoje não consegui obtê-las.

"O Reagan se fosse vivo hoje era democrata."

Discordo completamente, prezado leitor. Reagan começou por ser democrata, e foi precisamente por achar que os democratas não favoreciam a iniciativa privada, tal como muitos acham do actual presidente ("If you have a business, you didn't build that"), que se tornou republicano.

Senão vejamos: alguém de bom senso considera Romney à direita de Reagan? E, contudo, Romney é republicano.

O Alexandre já respondeu e de facto a pergunta deixa algum simplismo no ar, como se este tipo de coisas acontecesse porque o desejamos, quando, de facto, muito pouco depende de nós. Pedi credenciais às duas convenções, recebi resposta positiva apenas do RNC.

Em relação a Reagan ser democrata, penso que o Alexandre e o João Felipe têm razão. Há também os que dizem que John F. Kennedy hoje seria republicano (pro-life, strong national defense, pro bussiness, etc), tudo características que têm perdido espaço no actual Partido Democrata. O mundo mudou bastante, alem que, este tipo de exercícios é inútil.

Me parece que entre a II Guerra Mundial e o final da Guerra do Vietnã, os partidos democrata e republicana tinham centros de gravidade muito proximos, embora reunissem um espectro de posições políticas extremamente diversificado. Havia democratas e republicanos contra e a favor da campanha dos direitos civis, por exemplo.

Me parece que com McGovern entre os democratas e Nixon entre os republicanos, é que começou esse movimento dos republicanos para a direita e os democratas na direção das minorias. Entre os democratas, Clinton congelou esse processo, que com Obama voltou a se intensificar.

No caso específico dos republicanos, me preocupa o fato de que a radicalização parece estar fugindo do controle das elites partidárias. Romney teve que jurar, por todos os santos, que era um conservador de verdade "Hi, I'm severely conservative.... Please, believe me". Em 2008, ninguém tinha dúvidas de seu conservadorismo. O fato de que a maioria da base ter oscilado entre figuras como Herman Cain, Newt Gingrich e Rick Santorum por tanto tempo, e a multiplicação de seguidores de Ron Paul, não são bons sinais.

Não sei em relação a Reagan, mas figuras como Eisenhower, Nelson Rockfeller e George Romney certamente seriam RINOs hoje em dia.
Nehemias a 7 de Agosto de 2012 às 14:47

Claro que Reagan foi um grande presidente, e claro que ele seria republicano hoje. A diferença é que ele é que ele estaria na conta dos republicanos moderados, algo que ele não era na sua época ativa.
Joao Felipe a 5 de Agosto de 2012 às 19:32

Os grandes líderes, em vez de se moverem para o centro, movem o centro para eles. Foi isso que Reagan fez (tal como, no Reino Unido, Margaret Thatcher).

Já Obama é considerado pelos americanos - segundo as sondagens - como estando claramente à esquerda das suas preferências, o que não era o caso de Clinton, um democrata centrista.

É muito fácil falar-se de radicalismo republicano, mas a imagem não estará nunca completa enquanto se não colocar o radicalismo democrático no outro prato da balança. E a verdade é que os americanos que se consideram conservadores são o dobro dos que se consideram "liberais". É com essa realidade que temos de lidar, a realidade americana.

Caro Alexandre, uma pergunta: Porque, nas pesquisas, os que se dizem conservadores sâo bem mais numerosos que os que se dizem liberais, mas os que se dizem democratas são ligeiramente superiores aos que se dizem republicanos?
Joao Felipe a 6 de Agosto de 2012 às 02:24

Bom, embora a pergunta tenha sido dirigida ao Alexandre, vou arriscar um palpite.

Me parece qie o número de democratas seja superior aos de republicanos, porque, principalmente nos estados do Sul, um número significativo de eleitores ainda se identifica como democrata, embora sejam conservadores e votem republicano para presidente.

Assim, pesquisas de identificam partidária, como o Gallup, apontam um empate entre eleitores republicanos e democratas na Georgia, Arkansas, e Louisiana, por exemplo, embora sejam sólidos "Red States" na eleição presidencial. No nível local, porém, a Georgia só elegeu seu primeiro governador republicano em 2003.

No fundo, isso é um resquício de mais de cem anos de domínio democrata no sul. No entanto, para efeitos de eleições presidenciais boa parte desses southern democrats são republicanos.
Nehemias a 7 de Agosto de 2012 às 15:46

Sobre Tatcher, eu não sei se ela era assim tão popular. Pelo que sei ela era bastante polarizadora. Acho que se ela fosse Primeira-Ministra do Reino Unido atualmente, masi atrapalharia do que ajudaria. Prefiro a \"Dama de Aço\" (que é mais maleável) Angela Merkel.
Joao Felipe a 6 de Agosto de 2012 às 02:29

Caro Alexandre, você tem dado a entender que acredita na vitória de Romney. Você teria um palpite exato para o Colégio Eleitoral? Eu, que tambem me gabo de ser bastante certeiro em meus palpites, cravo 303 a 235 em favor de Obama.
Joao Felipe a 6 de Agosto de 2012 às 02:39

Sobre Clinton, acho que foi ele que correu ao centro e não o inverso, caso contrário, ele teria conseguido aprovar sua reforma da saúde e os democratas não teriam levado a surra que levaram em 1994.
Joao Felipe a 6 de Agosto de 2012 às 02:52

Sobre o senado meu palpite é: 50 a 50
Joao Felipe a 6 de Agosto de 2012 às 02:55

Uma coisa você tem razão: Obama está mais a esquerda do que a média do país. O engraçado é há quem o critique por ser esquerdista demais e outros o criticam por não ser esquerdista o suficiente :-)
Joao Felipe a 6 de Agosto de 2012 às 03:00

Barack Obama parece bem mais liberal do que o Governo Obama, Ou seja, embora represente uma corrente mais liberal do partido democrata, o seu governo, em parte por sua tendência de buscar consensos, em parte pelos compromissos e pressões que sofre em sua cadeira, é relativamente centrista, dadas as circunstâncias.

Mesmo sua reforma de saúde se baseia em grande parte em projetos antes defendidos pelos republicanos, ou mesmo implementados em nível estadual (RomneyCare).

Em uma possível vitória, se o Governo Obama vai continuar no centro, ou adotará politicas mais liberais ao gosto do Presidente e da ala mais liberal do partido, "remain to be seen".













Nehemias a 7 de Agosto de 2012 às 14:59

Em destaque
José Gomes André

Investigador de Filosofia Política, redigiu tese de doutoramento sobre James Madison. Autor de "Sistema Político e Eleitoral Norte-Americano: um Roteiro" (Esfera do Caos, 2008). Escreve também no Delito de Opinião.
ver perfil
ver posts
Nuno Gouveia

Autor de uma tese de mestrado sobre as eleições presidenciais americanas de 2008. Escreve também no 31 da Armada e Cachimbo de Magritte.
ver perfil
ver posts
Alexandre Burmester

Define-se como um "ávido seguidor amador" da política americana, que acompanha há mais de 40 anos. As suas habilitações académicas situam-se na área da Língua e Literatura Inglesas e foi quadro de uma multinacional canadiana
ver perfil
ver posts
arquivos
2016:

 J F M A M J J A S O N D


2015:

 J F M A M J J A S O N D


2014:

 J F M A M J J A S O N D


2013:

 J F M A M J J A S O N D


2012:

 J F M A M J J A S O N D


2011:

 J F M A M J J A S O N D


2010:

 J F M A M J J A S O N D


pesquisar neste blog