24
Jul 12
publicado por Nuno Gouveia, às 21:48link do post | comentar

Os afro-americanos são, desde os tempos de Frank D. Roosevelt, um eleitorado fiel do Partido Democrata, sendo que Barack Obama teve mesmo 95% dos votos desta comunidade. Além disso, quando os afro-americanos representavam em 2008 10% do eleitorado, o nível de entusiasmo fez com que a sua percentagem no número de votantes fosse de 13%. Estes dados foram decisivos para as vitórias de Obama em alguns swing-states, particularmente na Flórida, Virgínia e sobretudo na Carolina do Norte. O voto esmagador dos afro-americanos no Partido Democrata para as próximas décadas está garantido. 

 

Não sei se algo vai mudar, mas hoje estava a consultar uma sondagem publicada hoje pelo Daily Kos/PPP, que dá empate a 46% entre Barack Obama e Mitt Romney e encontrei um dado interessante: entre os afro-americanos, Romney está com 17% das intenções de voto. Nesta da McClatchy Marist, as indicações são semelhantes e encontrei ainda esta sondagem da Carolina do Norte que dá 20% a Romney. Um dado novo que pode baralhar as contas desta eleição, se confirmar-se a 6 de Novembro. Se Romney conseguir alcançar 15% deste eleitorado, sendo de esperar que a afluência às urnas seja menor por parte dos afro-americanos, pode ser significativo, especialmente nos swing-states que referi. 

 

O que pode explicar esta diferença em relação a 2008? Em primeiro lugar, o desemprego é mais elevado entre os afro-americanos do que em qualquer outra comunidade e os índices de pobreza aumentaram bastante. Quando Obama mudou de opinião em relação ao casamento gay, pensei que isso não ia reflectir-se no seu sentido de voto, pois os afro-americanos são, maioritariamente, contra. Mas essa pode também ser uma razão. Por outro lado, nestes últimos anos surgiram alguns negros a darem a cara pelo Partido Republicano em lugares de destaque, como o congressista da Florida Allen West, o candidato presidencial Herman Cain ou o antigo chairman do RCN, Michael Steele. Talvez seja um misto destas razões todas, mas, a acreditar nas sondagens, Obama estará a perder algum fulgor entre a sua camada de apoiantes mais fervorosos. 


Duvido muito que Obama não consiga pelo menos 90% do eleitorado negro nessas eleições.
Joao Felipe a 25 de Julho de 2012 às 10:33

Na última pesquisa da Quinnipiac, feita no começo do mês, Obama tinha 92% do voto negro. Não acho que tenha mudado muito de lá para cá.
P.S.: Por que o RealClearPolitics não publica as pesquisas da PPP a nível nacional, mas publica as estaduais?
Joao Felipe a 25 de Julho de 2012 às 11:10

Não sei, mas a empresa PPP é de origem democrata e até aparece PPP (D). E de facto, são as sondagens que dão melhores resultados a Obama. Ainda hoje no MI há uma a dar uma vantagem a Romney de 1% e a da PPP dá 14% a Obama. Segundo as últimas sondagens do estado, parece-me um claro outlier:

http://www.realclearpolitics.com/epolls/2012/president/mi/michigan_romney_vs_obama-1811.html
Nuno Gouveia a 25 de Julho de 2012 às 18:45

O primeiro candidato democrático a vencer o voto negro foi John Kennedy em 1960, e não por grande vantagem. Foi em 1964 que, definitivamente, os republicanos perderam esse voto, pois o seu candidato presidencial, Barry Goldwater, tinha sido um de apenas seis senadores republicanos a votar contra o Acto dos Direitos Civis (por achar tratar-se de matéria da competência dos estados e não do governo federal).
Alexandre Burmester a 25 de Julho de 2012 às 14:29

Pensava que tinha sido nos tempos de Roosevelt. Um erro grave que vou corrigir no meu texto :)

A minha intenção não era corrigir-te, Nuno;-). Mas a verdade é que Dwight Eisenhower venceu por duas vezes - 1952 e 1956 - o voto negro.

Nuno,

Tenho de me penitenciar! O Dick Morris induziu-me em erro - ou eu ouvi-o mal.

Mas, de facto, tendo sido com FDR que os democratas primeiramente venceram o voto negro, foi a partir de 1964 que o fosso se cavou nesse segmento eleitoral.

Um abraço

Por falar em negros, pesquisas da PPP na Pensilvânia e no Michigan mostram que Condoleezza Rice agrega mais votos para Romney do que Pawlenty, Portman e Jindall. Sem ela, Obama lidera com boa vantagem nesses estados. Com ela, há empate na Pensilvânia, e uma queda de 14 para 8 pontos da vantagem de Obama no Michigan. Será que ela é mesmo carta fora do baralho?
Joao Felipe a 25 de Julho de 2012 às 16:50

As sondagens da PPP devem ser sempre tomadas com um pouco de água benta, dada a sua inclinação democrática. O mesmo se diga das que sejam efectuadas por empresas de inclinação republicana, claro.

Por mim, acho que o Michigan está muito mais renhido do que algumas sondagens parecem evidenciar. E isso é sintomático da dura batalha que Obama tem pela frente.

Quanto a Condoleezza Rice, não acredito que seja a escolhida. Mitt Romney não precisa de correr riscos para ganhar a eleição. E digo isto objectivamente, pois eu até gostava de vê-la como candidata a VP.

um bom teste para observar a confiabilidade da PPP é ver o resultado da pergunta \"em quem você votou em 2008?\" Se o resultado for parecido com o ocorrido (como tenho observado na maioria das vezes) dá para confiar.
Joao Felipe a 25 de Julho de 2012 às 21:39

A wikipedia diz que Eisenhower conseguiu 40% do voto negro em 1956, ele venceu mesmo entre os negros?
Joao Felipe a 25 de Julho de 2012 às 22:16

Segundo este artigo (que não sei qual o grau de credibilidade), os negros começaram realmente a votar Democrata com Roosevelt:

http://www.factcheck.org/2008/04/blacks-and-the-democratic-party/
Miguel Madeira a 27 de Julho de 2012 às 09:55

Entretanto, achei a fonte desse artigo

http://www.jointcenter.org/sites/default/files/upload/research/files/2004%20Democratic%20Convention%20Guide.pdf

[página 9]

Eu ouvira ainda recentemente o Dick Morris a dizer precisamente aquilo que eu escrevi, que fora com Kennedy a primeira vez que os negros tinham votado democrata. Mas aceito que tanto eu como Morris possamos estar errados. Mas as actuais percentagens de voto negro dos democratas vêm apenas de 1964.

Em destaque
José Gomes André

Investigador de Filosofia Política, redigiu tese de doutoramento sobre James Madison. Autor de "Sistema Político e Eleitoral Norte-Americano: um Roteiro" (Esfera do Caos, 2008). Escreve também no Delito de Opinião.
ver perfil
ver posts
Nuno Gouveia

Autor de uma tese de mestrado sobre as eleições presidenciais americanas de 2008. Escreve também no 31 da Armada e Cachimbo de Magritte.
ver perfil
ver posts
Alexandre Burmester

Define-se como um "ávido seguidor amador" da política americana, que acompanha há mais de 40 anos. As suas habilitações académicas situam-se na área da Língua e Literatura Inglesas e foi quadro de uma multinacional canadiana
ver perfil
ver posts
arquivos
2016:

 J F M A M J J A S O N D


2015:

 J F M A M J J A S O N D


2014:

 J F M A M J J A S O N D


2013:

 J F M A M J J A S O N D


2012:

 J F M A M J J A S O N D


2011:

 J F M A M J J A S O N D


2010:

 J F M A M J J A S O N D


pesquisar neste blog