09
Mai 12
publicado por Nuno Gouveia, às 22:01link do post | comentar

Foto Politico

 

Em plena campanha eleitoral, Barack Obama muda de opinião e declara-se a favor do casamento entre homossexuais. Apesar de não ser surpresa para ninguém, esta atitude não deixará de ser encarada como uma jogada política, pois este "flip-flop" surge numa altura em que pela primeira vez a maioria dos americanos declara-se a favor, segundo as mais recentes sondagens. Esta opção acarreta riscos mas também vantagens para o Presidente. Por um lado, Obama injecta energia na sua base eleitoral, maioritariamente a favor, fará com que aumentem contribuições financeiras da comunidade gay, enchendo os cofres da sua campanha, e coloca uma armadilha a Mitt Romney, lançando este assunto para a frente da agenda mediática e desviando as atenções da economia. Por outro lado, poderá ajudar a levar a base conservadora a ir ao encontro de Romney, termina com argumento que o nomeado republicano é "flip-flopper" e poderá afastar alguns eleitores de importantes swing-states - ainda ontem na Carolina do Norte, que Obama venceu em 2008 por 40 mil votos, os eleitores baniram o casamento gay em referendo. 


Parece-me que Obama escolheu o dia de ontém para fazer esta declaração, para tentar "apagar" a estrondosa derrota por 61% contra 39% que o casamento gay sofreu no referendo que se realizou na véspera, num swing state para Obama, que é a Carolina do Norte. Com este resultado a Carolina do Norte é o 29º ou 30º estado a chumbar o casamento gay. Há já quem fale que Obama depois das declarações de ontém (na minha opinião declarações mais bem vistas na Europa do que nos EUA) pode ter posto em risco um dos seus swing states (Adam Nagourney NYTImes "Mr. Obama faces considerable risk in jumping into this debate, reluctantly or not, in the heat of such a close election. The day before he announced his position, voters in North Carolina — a critical state in Mr. Obama’s re-election plan) E ainda lembram alguns, o facto de Obama poder ter perdido os votos de parte da comunidade negra, que foram os que maioritariamente chumbaram o casamento gay no referendo da Califórnia. Como sabemos, ao contrário da EUROPA, a questão dos valores é uma questão bastante importante para o povo americano e Obama pode até ter criado fracturas no seu próprio partido. Por isso, não penso que tenha sido assim tão positivo para Obama esta declaração (ao contrário do que a media alinhada com ele diz), até porque quando se fala de valores nos EUA não se fala só deste tema, fala-se de aborto (continua a aumentar o número de opositores ao aborto nos EUA - veja-se a recente declaração de Jimmy Carter perante o crecente movimento anti-aborto: "Democrats Should Change their Tune on Abortion"), fala-se da liberdade religiosa (Obama há muito pouco tempo afrontou e atacou propositadamente a Igreja Católica quando quis impôr as suas ideias com a sua famosa lei Obamacare, tendo conseguido unir protestantes, muçulmanos e judeus a favor da igreja católica!Jews, Muslims, Protestants support Catholic Church in fight against Obama HHS mandate).
Sinceramente, não acredito na sondagem da ABC que dá 52% dos americanos a favor do casamento gay, porque segui as sondagens da Gallup sobre o referendo de NC que davam ainda há poucos dias resultados diferentes do resultado que se verificou.
Penso também que se Romney quer ganhar espaço em realação a Obama, então deve colocar na agenda estes temas que atrás referi, obrigando Obama a tomar uma posição.

M.Almeida a 10 de Maio de 2012 às 10:11

Penso que o timming deste anuncio terá sido apressado pois Joe Biden terá se antecipado e dito asneiras (o habitual) e obama teve a necessidade de dizer já.

É verdade que acarreta alguns riscos, mas não me parece que perder votos na comunidade afro-americana seja um deles. Esses, independentemente deste assunto, acabarão sempre por votar nele. Já a questão que coloca na Carolina do Norte, parece-me correcta.

Sobre as sondagens, tenho visto várias e todas mostram uma evolução positiva para os defensores do casamento gay. Se tal não acontecesse, duvido que Obama mudasse de opinião.

Em relação à sua proposta para Romney, discordo dela. A economia é a grande vantagem que Romney tem em relação a Obama, e tudo o que se afastar daí será favorável a Romney.

Cumprimentos

Em destaque
José Gomes André

Investigador de Filosofia Política, redigiu tese de doutoramento sobre James Madison. Autor de "Sistema Político e Eleitoral Norte-Americano: um Roteiro" (Esfera do Caos, 2008). Escreve também no Delito de Opinião.
ver perfil
ver posts
Nuno Gouveia

Autor de uma tese de mestrado sobre as eleições presidenciais americanas de 2008. Escreve também no 31 da Armada e Cachimbo de Magritte.
ver perfil
ver posts
Alexandre Burmester

Define-se como um "ávido seguidor amador" da política americana, que acompanha há mais de 40 anos. As suas habilitações académicas situam-se na área da Língua e Literatura Inglesas e foi quadro de uma multinacional canadiana
ver perfil
ver posts
arquivos
2016:

 J F M A M J J A S O N D


2015:

 J F M A M J J A S O N D


2014:

 J F M A M J J A S O N D


2013:

 J F M A M J J A S O N D


2012:

 J F M A M J J A S O N D


2011:

 J F M A M J J A S O N D


2010:

 J F M A M J J A S O N D


pesquisar neste blog