16
Jan 12
publicado por Nuno Gouveia, às 22:57link do post | comentar

As sondagens continuam a indicar que é quase impossível que Mitt Romney perca a nomeação. Senão vejamos:

 

Carolina do Sul - A tendência das sondagens para as primárias que se realizam já no próximo Sábado não deixam margem para dúvidas: Romney é o claro favorito a vencer. E dificilmente irá perder a vantagem amealhada desde o New Hampshire. E com a saída de Huntsman da corrida, ainda irá subir mais uns pontinhos. 

 

Florida - Aqui a vantagem de Romney é ainda maior. Com as características deste estado a serem mais favoráveis, e com o potencial endorsement de Jeb Bush a caminho, não vejo como será possível ser derrotado aqui. 

 

Nacional - Também aqui Romney tem vindo a subir desde o New Hampshire. E agora, ao contrário de até Dezembro, estas já contam. Se por acaso vencer na Carolina do Sul e na Florida, Romney "arrisca-se" a ir até à super terça-feira sozinho com Ron Paul, o único candidato que parece ter capacidade para sobreviver a estas derrotas do mês de Janeiro. 

 

Tenho algumas dúvidas que esta vitória fácil que se está a desenhar seja favorável a Romney. Nunca na história moderna das primárias republicanas um candidato venceu tão facilmente. Nem Ronald Reagan, que perdeu várias primárias para George H. Bush, nomeadamente no Iowa. Terá tempo para preparar a campanha das eleições gerais, mas como se provou com Barack Obama em 2008, pode ser favorável competir nos 50 estados durante as primárias. Será que não haverá ninguém no campo de Romney a desejar um percalço na Carolina do Sul, até para espicaçar mais a corrida?

 

PS: Hoje, às 2h00 (de Lisboa) haverá mais um debate na Fox News, já sem Huntsman: Romney, Paul, Perry, Santorum e Gingrich. Está-se a prever mais uma sessão de tiro ao alvo a Romney. 

 


Se eu fosse americano e republicano do tipo tea-party , eu me sentiria profundamente deprimido com os rumos dessa corrida eleitoral.

Eu acho que os militantes das alas mais radicais do partido republicano acreditavam que, finalmente, havia chegado a sua vez.

Claramente, cerca de metade da base republicana estava (ou está ainda) inclinada por um canditado radicalmente conservador. Temos ainda uma minoria libertária identifcada com o Ron Paul. E eu diria, uns 30 % ou menos aceitando um candidato conservador moderado. Lembrando sempre que o partido republicano esta hj bem mais a direita do que no passado. Jon Hutsman que foi governador de um dos dos estados mais conservadores dos EUA é hoje um moderado.

No entanto, os candidatos que disputam a parte conservadora da base repúblicana se mostraram pífios. O fato de alguém sem experiência ou passado político nenhum como Herman Cain ter liderado por algumas semanas mostra quão desesperada estava a base. Perry , Cain e Gingrich se alternaram na liderança mas estavam completamente despreparados. Perry não pode abrir a boca, Cain tinha uma série de escândalos sexuais, e alguém devia dizer a Gingrich que se você é divorciado três vezes - se separando de primeira mulher para ficar com a amante, e comunicando a decisão quando ela esta se recuperando de uma cirurgia no Hospital - é um tanto improvável que conservadores religiosos te apoiem.
O fato dos líderes religiosos evangélicos conservadores terem decidido, por uma maioria de 75 %, apoiar o católico Rick Santorum já mostra a situação desesperadora que essa parte do eleitorado se encontra.

Enquanto isso, com uma campanha com pouquíssimos erros e, óbvio, muito dinheiro, Mitt Romney se posicionou muito bem para se beneficiar da divisão da base mais conservadora do partido. Divide et impera.

Pessoalmente, ficarei muito feliz se Romney for vitorioso nessa disputa. O candidato republicano, se ele quem for, tem grande chance de ganhar a eleição, principalmente se a situação econômica se deteriorar. Por isso, considero muito importante que os outros candidatos que, em minha opinião, são completamente despreparados para o cargo, sejam eliminados logo. (Huntsman era única opção real e decente para candidato a presidente, mas ele já desistiu).

Nehemias
Nehemias a 17 de Janeiro de 2012 às 12:46

Desde o inicio que sempre defendi que havia três nomes elegíveis. Dois deles já desistiram (Tim Pawlenty no Verão e Jon Huntsman agora). Perry tinha currículo, mas não estava preparado para a arena nacional. Resta Romney, que irá ser o nomeado.

Um abraço.
Nuno Gouveia a 17 de Janeiro de 2012 às 15:06

Em destaque
José Gomes André

Investigador de Filosofia Política, redigiu tese de doutoramento sobre James Madison. Autor de "Sistema Político e Eleitoral Norte-Americano: um Roteiro" (Esfera do Caos, 2008). Escreve também no Delito de Opinião.
ver perfil
ver posts
Nuno Gouveia

Autor de uma tese de mestrado sobre as eleições presidenciais americanas de 2008. Escreve também no 31 da Armada e Cachimbo de Magritte.
ver perfil
ver posts
Alexandre Burmester

Define-se como um "ávido seguidor amador" da política americana, que acompanha há mais de 40 anos. As suas habilitações académicas situam-se na área da Língua e Literatura Inglesas e foi quadro de uma multinacional canadiana
ver perfil
ver posts
arquivos
2016:

 J F M A M J J A S O N D


2015:

 J F M A M J J A S O N D


2014:

 J F M A M J J A S O N D


2013:

 J F M A M J J A S O N D


2012:

 J F M A M J J A S O N D


2011:

 J F M A M J J A S O N D


2010:

 J F M A M J J A S O N D


pesquisar neste blog