13
Dez 11
publicado por Nuno Gouveia, às 23:02link do post | comentar

Ron Paul, ao contrário de há quatro anos, está a fazer uma excelente campanha e montou duas operações no terreno que lhe podem dar frutos: no Iowa e New Hamsphire. E por isso, sobretudo no primeiro estado, pode fazer a diferença nesta campanha. Ao contrário de Newt Gingrich, que não tem uma grande máquina no Iowa, Paul tem um fiel leque de seguidores no terreno que lhe podem ser importantes no dia dos caucuses. Apesar da vantagem de Newt nas sondagens no estado, é provável que até 3 de Janeiro ainda caia nas sondagens. Além disso, normalmente ganha os caucuses quem tem a campanha mais organizada e com maior capacidade de mobilização. E neste momento, há dois candidatos organizados no Iowa: Ron Paul e Mitt Romney. Além disso, Michele Bachmann, Rick Santorum e Rick Perry, que estão a dar tudo no estado, também podem ajudar a roubar votos a Gingrich, que apenas recentemente começou a colocar recursos no estado. E por isso Ron Paul, que neste momento está em segundo lugar nas sondagens, pode alcançar uma surpresa e vencer no Iowa. E se Mitt Romney conseguir um segundo ou terceiro lugar, partirá com larga vantagem sobre Newt Gingrich para o New Hampshire, onde ainda lidera com alguma vantagem. 

 

O Carlos discorda aqui do favoritismo que ainda atribuo a Mitt Romney. Este post é precisamente sobre isso. Neste momento não dou grande valor às sondagens nacionais, porque tudo irá mudar a partir do momento em que os resultados começarem a surgir. E recordo que desde 1976 que nenhum candidato republicano vence as duas primeiras eleições. Mesmo que Gingrich vença no Iowa, é provável a sua derrota no New Hampshire, passando o momentum para o lado de Mitt Romney. Além do mais, Newt não tem máquina eleitoral nem dinheiro para competir com Mitt Romney numa longa campanha, como se está a prever. E acredito que estas próximas semanas serão terríveis, com o establishment republicano a massacrar Newt Gingrich publicamente. Depois da sua passagem tumultuosa por Washington na década de 90, e com o desejo que os republicanos têm de derrotar Barack Obama, os sectores mais poderosos do partido tudo irão fazer para derrotar Newt. Posso estar enganado, mas o dinheiro, os apoios e a máquina de campanha ainda acabarão por desequilibrar a corrida para o lado de Romney. E atenção aos endorsements das próximas semanas. 


Ao fim e ao cabo a máquina republicana quer alavancar um candidato e o Tea Party, outro. Trata-se somente de uma clivagem de género, dentro do GOP
Gustavo a 14 de Dezembro de 2011 às 23:29

E há o wild card, Ron Paul, que no Iowa e New Hampshire, pode complicar as contas :)
Nuno Gouveia a 15 de Dezembro de 2011 às 20:32

Em destaque
José Gomes André

Investigador de Filosofia Política, redigiu tese de doutoramento sobre James Madison. Autor de "Sistema Político e Eleitoral Norte-Americano: um Roteiro" (Esfera do Caos, 2008). Escreve também no Delito de Opinião.
ver perfil
ver posts
Nuno Gouveia

Autor de uma tese de mestrado sobre as eleições presidenciais americanas de 2008. Escreve também no 31 da Armada e Cachimbo de Magritte.
ver perfil
ver posts
Alexandre Burmester

Define-se como um "ávido seguidor amador" da política americana, que acompanha há mais de 40 anos. As suas habilitações académicas situam-se na área da Língua e Literatura Inglesas e foi quadro de uma multinacional canadiana
ver perfil
ver posts
arquivos
2017:

 J F M A M J J A S O N D


2016:

 J F M A M J J A S O N D


2015:

 J F M A M J J A S O N D


2014:

 J F M A M J J A S O N D


2013:

 J F M A M J J A S O N D


2012:

 J F M A M J J A S O N D


2011:

 J F M A M J J A S O N D


2010:

 J F M A M J J A S O N D


pesquisar neste blog