19
Set 11
publicado por Nuno Gouveia, às 23:39link do post | comentar

Poster for Taft's re-election, 1912.


O republicano William Howard Taft era o presidente em exercício em 1912, mas acabou por ficar em terceiro lugar nessa eleição. Nesse ano, um antigo presidente, e também republicano, é que dominou a campanha presidencial: Teddy Roosevelt. O vencedor acabou por ser um antigo presidente da Universidade de Princeton, Woodrow Wilson. E como é que isto aconteceu? Uma revolta interna no Partido Republicano, liderada por Teddy Roosevelt, que saiu do GOP e candidatou-se pelo Partido Progressista, fundado entretanto por ele e pelos seus aliados. 

 

William Howard Taft, que tinha sido Secretário da Guerra de Roosevelt, assumiu a presidência em 1909, com o apoio do antigo presidente. Mas durante o consulado de Taft, Roosevelt começou lentamente a assumir-se como oposição interna,  acusando a Administração Taft de ter-se deslocado para a direita e abandonado os princípios da sua presidência. Nas primárias de 1912, Roosevelt avançou e venceu nove das doze eleições. Mas nessa época as primárias tinham pouco valor na corrida à nomeação, e Taft, que através da poderosa máquina republicana do Ohio controlava o partido, foi facilmente nomeado na Convenção de Chicago. Teddy Roosevelt, motivado pelas vitórias populares e por um círculo de apoiantes fervorosos, abandona o Partido Republicano, cria o Partido Progressista e avança para a presidência. O "Moose Bull Party", como ficou conhecido este novo partido, tinha uma plataforma populista a anti-sistema, com medidas progressistas para a época, como a criação de um sistema nacional de saúde, voto das mulheres, dia de trabalho de oito horas, eleição directa de senadores, a institucionalização do sistema de primárias ou a criação de referendos. 

 

Com a divisão do Partido Republicano, os Democratas viram aqui uma oportunidade para recuperar a Casa Branca, que lhes escapava já desde 1896, quando Grover Cleveland saiu para dar lugar a William McKinley. Na histórica Convenção de Baltimore, William Jennings Bryan, candidato três vezes derrotado pelos republicanos em 1896, 1900 e 1908, decidiu não se candidatar e apoiar o então Speaker da Câmara dos Representantes, Champ Clark, do Missouri. Mas após várias votações, este não conseguia chegar aos 2/3 necessários para obter a nomeação. A Tammany Hall, a poderosa máquina democrata de Nova Iorque decide então apoiar Clark, e deu-se a reviravolta, com Jennings Bryan a retirar-lhe o apoio e colocar-se ao lado do então governador de New Jersey, o académico Woodrow Wilson, que tinha ficado sempre em segundo, atrás de Clark. Após 46 votações, finalmente Woodrow Wilson obteve a nomeação do partido. Mais tarde, viria a recompensar William Jennings Bryan com o cargo de Secretário de Estado. 

 

William Howard Taft cedo percebeu que não teria grandes hipóteses de vitória, e praticamente não fez campanha. Roosevelt, no seu estilo lutador, pretendeu fazer uma campanha vigorosa, mas viria a sofrer uma tentativa de assassinato a 14 de Outubro durante um discurso. Apesar de baleado, a ferida não foi grave e Roosevelt terminou o seu discurso antes de ser encaminhado para um hospital. Essa bala permaneceu no peito de Roosevelt até ao fim da sua vida, pois os médicos consideraram perigoso retirá-la. Os adversários suspenderam a campanha durante uma semana, mas viriam a retomá-la nas últimas semanas antes das eleições. Woodrow Willson viria a vencer as eleições facilmente, com 41 por cento dos votos, com Teddy Roosevelt a ficar em segundo lugar, com 27 por cento e Taft, o pior resultado de sempre de um presidente em exercício, com apenas 23 por cento. 

 

Taft e Roosevelt viriam a reconciliar-se um pouco antes da morte deste último em 1919. Taft, que apenas faleceu em 1930, viria a ser nomeado Presidente do Supremo Tribunal de Justiça em 1921, pelo Presidente Warren Harding. Foi o único americano a ocupar os dois cargos. Teddy Roosevelt, que provocou o maior terramoto político da história do Partido Republicano, viria a regressar ao partido e tornar-se num dos grandes opositores de Woodrow Wilson. Em 1916 apoiou entusiasticamente o candidato republicano Charles Evan Hughes, e era mesmo um dos nomes mais falados para a nomeação em 1920.

 


Em destaque
José Gomes André

Investigador de Filosofia Política, redigiu tese de doutoramento sobre James Madison. Autor de "Sistema Político e Eleitoral Norte-Americano: um Roteiro" (Esfera do Caos, 2008). Escreve também no Delito de Opinião.
ver perfil
ver posts
Nuno Gouveia

Autor de uma tese de mestrado sobre as eleições presidenciais americanas de 2008. Escreve também no 31 da Armada e Cachimbo de Magritte.
ver perfil
ver posts
Alexandre Burmester

Define-se como um "ávido seguidor amador" da política americana, que acompanha há mais de 40 anos. As suas habilitações académicas situam-se na área da Língua e Literatura Inglesas e foi quadro de uma multinacional canadiana
ver perfil
ver posts
arquivos
2017:

 J F M A M J J A S O N D


2016:

 J F M A M J J A S O N D


2015:

 J F M A M J J A S O N D


2014:

 J F M A M J J A S O N D


2013:

 J F M A M J J A S O N D


2012:

 J F M A M J J A S O N D


2011:

 J F M A M J J A S O N D


2010:

 J F M A M J J A S O N D


pesquisar neste blog