01
Jul 11
publicado por Nuno Gouveia, às 09:40link do post | comentar

Foto AP

Quando Robert Gates iniciou funções no Departamento de Defesa no final de 2006, o Pentágono estava de rastos. Com a situação no Iraque completamente caótica e um secretário da Defesa completamente descredibilizado, ninguém acreditaria que este veterano da Administração Reagan, onde tinha sido vice-director da CIA, se manteria em funções até 2011. Na verdade, foi sempre considerado a prazo no cargo durante estes anos todos. Mas o seu legado é indiscutivelmente positivo, numa das épocas mais difíceis de sempre para a Defesa americana, envolvida em várias frentes de batalha. George W. Bush, depois do excêntrico e controverso Donald Rumsfeld, precisava de um líder discreto para colocar em ordem o Pentágono. E foi precisamente isso que encontrou em Robert Gates. A sua maior conquista foi a implementação com sucesso da "surge" no Iraque, quando muito poucos acreditavam que era possível dar a volta à situação. O seu sucesso não passou despercebido a Barack Obama, que não hesitou em convidá-lo a manter-se em funções. Era para ficar apenas um ano, para uma transição suave, mas a força das circunstâncias acabaram por levá-lo a manter-se por mais dois anos. 

 

Agora o velho espião da CIA, recrutado durante a década de 60, irá finalmente descansar. Pelo meio ficaram os vários serviços prestados às Administrações Reagan, George H. Bush, George W. Bush e Barack Obama. Um longo currículo que terminou ontem, com Obama a prestar-lhe uma sincera homenagem pela sua dedicação à causa pública, atribuindo-lhe a Medalha Presidencial da Liberdade.


Donald Rumsfeld, «controverso»? Sem dúvida. Mas «excêntrico»?! Porquê, Nuno?
Octávio dos Santos a 1 de Julho de 2011 às 10:16

Sempre admirei Donald Rumsfeld. Mas sempre foi provocador e muito diferente do típico político. Admito, que a palavra "excêntrico" não tenha sido a melhor para representar o que queria dizer.

Um abraço.

Em destaque
José Gomes André

Investigador de Filosofia Política, redigiu tese de doutoramento sobre James Madison. Autor de "Sistema Político e Eleitoral Norte-Americano: um Roteiro" (Esfera do Caos, 2008). Escreve também no Delito de Opinião.
ver perfil
ver posts
Nuno Gouveia

Autor de uma tese de mestrado sobre as eleições presidenciais americanas de 2008. Escreve também no 31 da Armada e Cachimbo de Magritte.
ver perfil
ver posts
Alexandre Burmester

Define-se como um "ávido seguidor amador" da política americana, que acompanha há mais de 40 anos. As suas habilitações académicas situam-se na área da Língua e Literatura Inglesas e foi quadro de uma multinacional canadiana
ver perfil
ver posts
arquivos
2017:

 J F M A M J J A S O N D


2016:

 J F M A M J J A S O N D


2015:

 J F M A M J J A S O N D


2014:

 J F M A M J J A S O N D


2013:

 J F M A M J J A S O N D


2012:

 J F M A M J J A S O N D


2011:

 J F M A M J J A S O N D


2010:

 J F M A M J J A S O N D


pesquisar neste blog