27
Abr 11
publicado por Nuno Gouveia, às 15:19link do post | comentar

A Casa Branca publicou hoje o certificado de nascimento de Barack Obama. Depois de anos de rumores infundados, Donald Trump trouxe este assunto para o mainstream, colocando-o na ordem do dia. Esta medida de Obama prova que o tema estava a tornar-se incómodo, afectando a popularidade do Presidente. Nunca ninguém de boa fé terá duvidado que Obama nasceu realmente no Hawaii, e esta polémica foi mantendo-se acesa no underground das teorias da conspiração. Os líderes republicanos nunca puxaram por este assunto, em primeiro, porque sabiam que era mentira, e depois, porque desviava as atenções dos reais problemas. Mas tudo mudou com o blitz mediático do milionário Trump, que durante semanas desafiou o Presidente a mostrar o certificado de nascimento. As leis do Hawaii não o permitiam, mas Obama nunca sentiu a necessidade de enfrentar de frente este problema. Agora, a Casa Branca pediu ao estado do Hawaii para fazer uma excepção e divulgar o certificado original. Não deixa de ser estranho que tenham decidido lançar esta notícia hoje, no mesmo dia em que nomearam Leon Panetta para o Pentágono e David Petraeus para a CIA. Duas excelentes nomeações, que certamente serão bem recebidas em Washington, mas que serão ofuscadas, mediaticamente falando, por este assunto do birth certificate.

 

Uma nota sobre Trump e os birthers. Para quem observa de longe esta realidade, não deixa de ser patético ver figuras relevantes a darem voz a teorias deste género. Todas as organizações independentes, incluindo vários órgãos de comunicação social, que tinham investigado o assunto concluíram que Obama é um cidadão nascido nos Estados Unidos. O facto de ter chegado a este ponto diz muito do momento político que o país atravessa. 

tags:

É o vale-tudo ! Até rufias como Putin, Sarkozy e Berlusconi são eleitos.
anónimo a 28 de Abril de 2011 às 07:52

Esqueceu-se do Sócrates.
Jose Costa a 28 de Abril de 2011 às 09:01

Efectivamente, esqueceu-sa do Sócrates ...e não só!
Anónimo a 28 de Abril de 2011 às 10:25

Triste realidade da nossa sociedade sociopolítica, onde a mundialização financeira e económica reina, o dinheiro não tem cor, nem cheiro, nem pátria ...mas socialmente falando cada ser humano precisa de uma etiqueta e muros tremendos se criam para evitar deslocamentos de populações de zonas onde ditadores reinam...
Por um mundo mais sereno...trabalhemos todos!
Anónimo a 28 de Abril de 2011 às 10:42

O Trump não passa dum idiota. Temos muitos como ele por cá.
Zé Povinho a 28 de Abril de 2011 às 13:08

Pois infelizmente este tipo de coisas á sempre alimentada por alguma mão invisível, bem colocada, e com objectivos muito concretos. A mim com este tipo de idiotices não me conseguem alimentar. Porquê? Porque todo o ser humano, independentemente da côr, raça, religião, credo, sexo DEVE SER RESPEITADO.
Henrique Pereira a 28 de Abril de 2011 às 13:51

O Milionário americano que está tão preocupado pelo facto de Obama ter ou não nascido nos Estados Unidos saberá ao menos qual é a sua Pátria?!....onde vampirizou ele os incontáveis milhões que fazem a sua fortuna? Se está tão preocupado com a «fronteira» porque é que não fica ele lá no seu quintal e deixa o Mundo girar,livre,solidário,igual e divino.
O filho de Deus não tem cor nem estatuto: é livre,justo,generoso,amigo,igual,fraterno e tem como Pátria o Mundo inteiro dos homens e mulheres verdadeiros,naturais,imperfeitos mas transcendentes,que não vivem emporcalhados nos milhões e provocam a miséria da humanidade
luis fernando a 28 de Abril de 2011 às 15:31

Já viram onde é que o John McCain nasceu?
Maneco a 28 de Abril de 2011 às 21:12

John McCain nasceu numa base militar americana no Panamá. Esta questão chegou a ser debatida, mas chegou-se à conclusão que era qualificado para se candidatar à presidência.
Nuno Gouveia a 28 de Abril de 2011 às 22:37

Se não fosse de pele negra, nem que tivesse nascido na China! é pena ainda haver mentalidades mesquinhas e invejosas.
E se investigassem a fortuna desse Trump?? haveria certamente muito que descobrir de ilícito.

Manuela Grilo
Maria Manuela Costa Grilo a 28 de Abril de 2011 às 16:02

Este assunto nunca morrera, existe mais racismo e xenofobismo neste pais do aquilo que as pessoas pensam, vivo numa area dos EUA em que muita gente diz "estar surpresa por ninguem ainda nao lhe ter dado um tiro".

Esperem mais deste tipo, vindas deste lado do oceano.

Um pequeno aparte, perdao a falta de acentos e gramatica correcta, o teclado esta em ingles. No entanto, algo que noto muito na escrita generalisada do Portugues por portugueses em Portugal, e sendo eu Portugues nao o gosto de o ver, e o uso extremo de estrangeirismos na escrita e fala.

Eu com o meu limitado vocabulario, nunca fui bem falante, nao uso estrangeirismos, usando a lingua Portuguesa ou Inglesa.
Emigrante nos EUA a 28 de Abril de 2011 às 16:15

Mas quem é o Donald Trump?
Pedro a 28 de Abril de 2011 às 18:24

Em destaque
José Gomes André

Investigador de Filosofia Política, redigiu tese de doutoramento sobre James Madison. Autor de "Sistema Político e Eleitoral Norte-Americano: um Roteiro" (Esfera do Caos, 2008). Escreve também no Delito de Opinião.
ver perfil
ver posts
Nuno Gouveia

Autor de uma tese de mestrado sobre as eleições presidenciais americanas de 2008. Escreve também no 31 da Armada e Cachimbo de Magritte.
ver perfil
ver posts
Alexandre Burmester

Define-se como um "ávido seguidor amador" da política americana, que acompanha há mais de 40 anos. As suas habilitações académicas situam-se na área da Língua e Literatura Inglesas e foi quadro de uma multinacional canadiana
ver perfil
ver posts
arquivos
2017:

 J F M A M J J A S O N D


2016:

 J F M A M J J A S O N D


2015:

 J F M A M J J A S O N D


2014:

 J F M A M J J A S O N D


2013:

 J F M A M J J A S O N D


2012:

 J F M A M J J A S O N D


2011:

 J F M A M J J A S O N D


2010:

 J F M A M J J A S O N D


pesquisar neste blog