20
Mar 11
publicado por Nuno Gouveia, às 11:38link do post | comentar

 

“They consulted the Arab League. They consulted the United Nations. They did not consult the United States Congress”

 

No mês de Setembro de 2001, pouco depois dos ataques terroristas, ambas as câmaras do congresso passaram uma resolução autorizando o Presidente George W. Bush a utilizar a força para actuar contra os terroristas, que culminou na intervenção no Afeganistão. Na altura, apenas um dos  535 congressistas e senadores votou contra. Em 2002, já com a oposição de vários democratas e de poucos republicanos, as duas câmaras autorizaram a intervenção no Iraque. Este fim de semana, forças militares americanas iniciaram o seu envolvimento na Líbia. Vários democratas da ala esquerda do Partido estão a questionar esta decisão da Administração Obama. Denis Kucinich, congressista de Detroit que  tentou iniciar um processo de impeachment contra George W. Bush e Dick Cheney, defendeu mesmo que esta acção poderá ser motivo para um processo semelhante contra o Presidente Obama. Terá certamente o sucesso dos anteriores. Mas Obama começa a ficar numa posição desconfortável, com esta oposição dentro do seu próprio partido.

 

Por enquanto, os líderes republicanos têm estado em silêncio, mas não me parece que vá surgir grande oposição deste lado. A liderança no Congresso tem permanecido em sincronia com Obama em relação à política externa e os principais candidatos presidenciais até criticaram o Presidente por ter demorado a actuar na Líbia. E ainda esta semana foi recusada uma moção no Congresso que exigia a retirada do Afeganistão, que teve apenas o apoio de 8 republicanos. E nem um dos 87 novos congressistas votou a favor da retirada. O problema para Obama poderá vir da esquerda, que ameaça subir ainda mais o tom da contestação, depois desta intervenção na Líbia não ter sido votada no Congresso.


Um Republicano que se opõe às intervenções militares é o Ron Paul. Acho que um dos poucos, se não o único do GOP.

Ele já postou vários vídeos em seu canal no youtube e deu várias entrevistas sobre isso. Até mesmo na corrida presidencial de 2008 ele falou sobre isso, nos debates da prévia do GOP. Tanto que em um deles ele questionou a situação atual do GOP, perguntando " O quê aconteceu com este partudo?".

Esperava-se uma posição similar da maioria dos Democratas, mas claro que o Corporativismo sempre supera as ideologias.
Osmar Bernardes Júnio a 20 de Março de 2011 às 21:12

Em destaque
José Gomes André

Investigador de Filosofia Política, redigiu tese de doutoramento sobre James Madison. Autor de "Sistema Político e Eleitoral Norte-Americano: um Roteiro" (Esfera do Caos, 2008). Escreve também no Delito de Opinião.
ver perfil
ver posts
Nuno Gouveia

Autor de uma tese de mestrado sobre as eleições presidenciais americanas de 2008. Escreve também no 31 da Armada e Cachimbo de Magritte.
ver perfil
ver posts
Alexandre Burmester

Define-se como um "ávido seguidor amador" da política americana, que acompanha há mais de 40 anos. As suas habilitações académicas situam-se na área da Língua e Literatura Inglesas e foi quadro de uma multinacional canadiana
ver perfil
ver posts
arquivos
2017:

 J F M A M J J A S O N D


2016:

 J F M A M J J A S O N D


2015:

 J F M A M J J A S O N D


2014:

 J F M A M J J A S O N D


2013:

 J F M A M J J A S O N D


2012:

 J F M A M J J A S O N D


2011:

 J F M A M J J A S O N D


2010:

 J F M A M J J A S O N D


pesquisar neste blog