28
Fev 11
publicado por Nuno Gouveia, às 22:20link do post | comentar

Na década de 80, o regime líbio era considerado dos maiores apoiantes do terrorismo internacional, tendo estado envolvido em diversos atentados. Em 1986, Ronald Reagan chegou mesmo a mandar bombardear Tripoli e Benghazi. A Administração Bush, em virtude do anúncio formal do regime de Khadafi de renúncia ao terrorismo e ao desenvolvimento de armas de destruição em massa, acabou com o embargo e normalizou as relações entre os dois países. Mas as recentes manifestações voltaram a degradar as relações, e nova intervenção pode suceder. Pelo menos foi isso que a Secretária de Estado, Hillary Clinton, afirmou hoje. Não sei se será apenas para manter a pressão sobre Khadafi, mas é a primeira vez que a Administração Obama ameaça usar a força desde que está no poder. Estas revoluções no Magrebe e Médio Oriente representam a mais grave crise de política externa do actual mandato, e se alguma coisa correr mal, este assunto não deixará de fazer mossa nas presidenciais de 2012.


Olá! Quero apenas deixar um breve ponto de vista, o acho que passa um pouco despercebido.
Com certeza a situação na líbia não é fácil, mas temos que ver que \"USA\" tem um interesse (e até necessidade) no petróleo líbio (e mundial).
Com todo e único poder de intimidação que tem, o Estados Unidos ameaça entrar com forças militares e só não fez até agora porque não teve apoio ou aval da comunidade internacional.
Afinal, o governo líbio está tentando desesperadamente destruir os poços de petróleo, justamente para não deixar nas mãos dos americanos.
Porém, isso não justifica as atitudes que Khadafi vem tomando e inclusive deve ser responsabilizado pelo ocorrido.
DANIEL APRIGIO a 4 de Março de 2011 às 21:16

Não será bem assim, pois as vozes que mais se têm ouvido para uma intervenção na Líbia até têm sido europeias (França e Inglaterra). Não tenho a certeza disto, mas parece-me que os americanos compram é mais à Venezuela, Arábia Saudita e Koweit. Aliás, até 2003, os EUA nem sequer tinham relações diplomáticas com a Líbia.
Nuno Gouveia a 4 de Março de 2011 às 21:29

Em destaque
José Gomes André

Investigador de Filosofia Política, redigiu tese de doutoramento sobre James Madison. Autor de "Sistema Político e Eleitoral Norte-Americano: um Roteiro" (Esfera do Caos, 2008). Escreve também no Delito de Opinião.
ver perfil
ver posts
Nuno Gouveia

Autor de uma tese de mestrado sobre as eleições presidenciais americanas de 2008. Escreve também no 31 da Armada e Cachimbo de Magritte.
ver perfil
ver posts
Alexandre Burmester

Define-se como um "ávido seguidor amador" da política americana, que acompanha há mais de 40 anos. As suas habilitações académicas situam-se na área da Língua e Literatura Inglesas e foi quadro de uma multinacional canadiana
ver perfil
ver posts
arquivos
2017:

 J F M A M J J A S O N D


2016:

 J F M A M J J A S O N D


2015:

 J F M A M J J A S O N D


2014:

 J F M A M J J A S O N D


2013:

 J F M A M J J A S O N D


2012:

 J F M A M J J A S O N D


2011:

 J F M A M J J A S O N D


2010:

 J F M A M J J A S O N D


pesquisar neste blog